sábado, janeiro 8

Lição 02-CPAD-2011-A ASCENSÃO DE CRISTO E A PROMESSA DE SUA VINDA.

Lição 02 – 1º Trimestre 2011 - CPAD
Ano do Centenário - 1911-2011
Autor: Osvarela
Texto Áureo. 
Atos 1. 11.  ... Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
At.1.4-11.  E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes.

11  Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
Etimologia.
JÚBILO  - (latim jubilum, -i, grito de alegria)
s. m. Grande contentamento; alegria expansiva. = jubilação ≠ mágoa, tristeza
Definologia. O júbilo é o estado, ato ou efeito de exultar.
Gritar de alegria.
O termo júbilo vem do idioma Latim, jubilum, “júbilo; gritos de alegria”.
04. Alegria pessoal; aprazimento sadio; autossatisfação; comprazimento natural; contentamento pessoal; exultação
Júbilo – representa um momento de conquista; um momento especial; uma ocasião feliz.
Júbilo significa: grande
alegria, grande contentamento.
Lembrando que os hebreus dizem: “todas as nossas festas são chamadas: motivos de júbilo”, ou seja, a ascensão foi tal qual uma festa.
Aliya – ascensão em Hebraico

Ascensão -
s.f. Ato de se elevar: comparar com: a ascensão de um balão.
Ato de ascender, de subir.
(latim ascensio, -onis) s. f.
1. Ato!Ato ou efeito de ascender. = ascenso, elevação, subida
2. Fig. Estado do que está a subir ou a elevar-se.
3. Passagem a posição ou cargo superior. = promoção
4. Relig. Elevação de Jesus Cristo ao Céu.
5. Relig. Festa que comemora esse acontecimento.
6. Relig. O dia dessa festa (quarenta dias depois da Páscoa). 
lt. ascensione, tem o mesmo étimo, de ascensor, ascensorista, ascendência e descendência.
Tem também o sentido de subir, por metáfora, como na frase "o príncipe ascendeu ao trono".
Indica ainda, festa que comemora a subida de Jesus (século I) ao Céu, 40 dias depois da Páscoa.
I – INTRODUÇÃO:

Visão do autor.
Ao ler o texto nos conscientizamos de que há uma profunda necessidade de tomarmos conhecimento revelacional, deste momento na vida do Senhor Jesus.
Para melhor entendimento, do que, representou a ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo.
1-Para a Igreja
2-Para os discípulos
3-Para os Apóstolos.
João 15.27. ...e também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.
Demonstrando a Importância da ascensão.
Há três fases apostólicas e contundentes, com capacidade definidora, inclusive para introdução no Colégio Apostólico, e uma anterior, chamada pelo Apóstolo Paulo de “Plenitude dos Tempos”:
-Nascimento de Jesus
1-Ministério de Jesus - Batismo de Jesus no Jordão; Sua Morte;
2- Sua Ressurreição – o Momento maior da vida de Jesus.
3-Sua Ascensão - Esta era o ápice da estada de Jesus, entre seus discípulos.
Atos 1. 21,22. É necessário, pois, que dos varões que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus andou entre nós, começando desde o batismo de João até o dia em que dentre nós foi levado para cima, um deles se torne testemunha conosco da sua ressurreição.
A-Ascensão e Assumpção.
Prefiro escrever na forma clássica assumpção.
Ascensão e assunção designam acontecimentos semelhantes, mas na primeira:
ascensão - a subida se dá por conta própria 
e na segunda – assumpção - a elevação depende de outros. 
“A Igreja ensina que Jesus subiu sozinho ao Céu”.  
Nota: A Bíblia nos ensina em:  
At.1.1,2;9-11.FIZ o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar,   Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;
9 E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.      E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
B- Entendendo a questão de forma etimológica:
Quando pesquisava a palavra e sua etimologia pude entender, que a Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo, se torna muito maior do que podemos pensar, pois ela é um referencial de sua Divindade.
Entenda melhor:
Na raiz da palavra o sentido lato da mesma, requer de quem ascende força, isto é poder, ou capacidade de elevar-se por seus próprios meios.
Jesus plenamente Deus ascendeu aos céus pela sua Glória e Poder.
Jesus Cristo pode por si mesmo elevar-se ao Céu, junto ao Pai.
Sua ascensão se torna uma forma visível pelos Apóstolos e seus discípulos de que Ele pode cumprir a esperada Promessa da Sua Vinda.
Quem por seu poder pôde ascender a sua Glória e ser recebido pelo Pai, tem poder para por si mesmo, sob a sua natural obediência, as ordens do Pai voltar, por seu Eterno Poder divino, para cumprir a Promessa.
João 14.3. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
C- Jesus diz - “quando eu for” – há um significado nestas palavras, sem querer forçar a exegese, ou a etimologia.
C-1- Eu for – significa – eu tenho poder para ir ao meu Pai.
Ninguém conhecia ou homem algum poderia falar estas palavras, pois não teria poder de por si só elevar-se ás alturas celestes.
Jesus o realizou e cumpriu as suas palavras.
A ascensão de Jesus Cristo é a fase final de seu Ministério terreno.
João 14.11-12. Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras.Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.
A- O nascimento foi a Plenitude;
B- A morte a semeadura;
C- A ascensão, a flor final do Plano.
Esta etapa faz parte do Plano Eternal da salvação.
Sob o aspecto salvífico a ascensão é o encerramento comprobatório da estada de Deus entre nós, retornando a sua Glória, sob a luz do dia e à vista de seus discípulos, agora sem a ajuda alguma da Divindade, a não ser pelo seu próprio poder e glória.
Lc.1.30-35. Maria; ... achaste graça ... Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. [...] Então Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, uma vez que não conheço varão? Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; ... será chamado santo, Filho de Deus.
Esta ascensão é confirmada, da mesma forma, que se deu o seu nascimento, com a voz de seus anjos.
A nossa teologia deve demonstrar como o Jesus histórico tornou-se o Cristo glorificado.
Nestes termos a Ascensão insere na Cristologia dois aspectos:
Jesus proclamado como Cristo e o lócus da proclamação – Kerigma da Igreja.
Jesus assumpto como Filho e Deus ao Pai
Além de inferir uma aura escatológica ao Evento final da permanência do Jesus homem, na Terra através da Ascensão visível e com ordenações neste sentido.
A visão escatológica, substanciada na Vinda de Jesus é o 'mitte' da Salvação em Jesus Cristo.
A ascensão tem uma carga explosiva na expansão da Igreja em seu crescimento e esperança.
A ascensão de Cristo é, portanto a sua retirada; a retirada de sua presença visível e corpórea, na Terra.
Isto não significa que ele não está mais aqui.
Mt.18. 20. Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.
II - A ASCENSÃO E A COMPREENSÃO DE SUA IMPORTÂNCIA PARA OS APÓSTOLOS:
A ascensão representa uma forma de divinalizar, aos olhos dos homens, diante de seus  Apóstolos, o Cristo [Ungido de Deus].
Dar uma nova dimensão da relação Deus – homem de forma direta, pois ali estava o Filho, que disse – “quem vê a mim vê ao Pai...
1 - Na Transfiguração:
Já conheciam a teofania e haviam vivenciado, cena idêntica:
Lc. 9.30-34. E eis que estavam falando com ele dois varões, que eram Moisés e Elias, os quais apareceram com glória, e falavam da sua partida que estava para cumprir-se em Jerusalém. Ora, Pedro ... haviam deixado vencer pelo sono; despertando, porém, viram a sua glória e os dois varões que estavam com ele. E, quando estes se apartavam dele, disse Pedro a Jesus: Mestre, bom é estarmos nós aqui [...] Enquanto ele ainda falava, veio uma nuvem que os cobriu; e se atemorizaram ao entrarem na nuvem.
Lc. 24.4. - E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes.
Vs.4. Eis que dois - Anjos sob a forma de homens.
Maria tinha visto um pouco antes. Eles haviam desaparecido da face destas mulheres ao chegarem ao sepulcro, mas agora apareceu novamente.
Os Apóstolos Mateus e Marcos mencionam apenas um deles, aparecendo como um homem jovem.
Comprovaram a sua divindade pelas palavras confortantes de dois anjos, quanto a sua promessa que voltaria - João 14-1.6.ss.
Necessitamos juntar o texto citado dos Evangelhos com o texto de Atos dos apóstolos para que haja pleno conhecimento do momento e entendermos a sua magnitude, seja para os discípulos e Apóstolos, como para nós, Igreja.
Parece-me que os discípulos aguardavam algo mais, seja pelo desejo da permanência de Jesus entre eles, seja pela sua presença em corpo de densidade diferenciada divina, por quase 40 dias se apresentando entre eles, nesta forma e com manifestações diferentes, seja entrando entre eles, sem as portas estarem abertas, mas ao mesmo tempo comendo peixe e mel, como todos humanos o fazem.
- E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco.
24:36. O aparecimento súbito de Jesus entre eles, embora as portas estavam fechadas [João 20:19], indica que o Senhor ressuscitado não se limitou a são seres humanos comuns.
36. Jesus estava no meio deles – a cena indica a sua glorificação e seu poder divino para,   num novo corpo, abrir uma porta cerrada [fechada]. Marcos 16.14, 19; João 20.19.
Lc.24.42,43.
Então eles lhe apresentaram parte de um peixe assado, e um favo de mel;
24:42. ...peixe assado.
O Cristo ressuscitado comeu e bebeu, provando que ele não era apenas um aspecto visionário.
Ele tomou e comeu diante deles - não que ele tivesse qualquer necessidade de alimento, mas para lhes dar ainda mais evidência.
Primeiro:
Com qual, tipo de densidade corporal espiritual o Senhor ascendeu?
- Física – em corpo glorificado.
João 20.36-43. Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco.E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor. 
[Era Ele mesmo, reconhecível e reconhecido, assim será conosco- teremos a mesma densidade que Jesus depois de termos nossos corpos transformados] 
Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei. E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco.Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente...
- Espiritual - glorificado pelo Pai; Senhor dos Senhores, com um Nome sobre todos os Nomes.
III -A ascensão sob a ótica de Jesus:
Ora! O próprio Jesus sabia que os céus eram a sua morada, desde as eras eternais.
Assim, Ele sabia, que voltar aos céus, era uma fase do Plano Eternal, do qual o Concílio Triúnico determinara, pela sua Eterna presciência.
João 3:10-13. “Ora ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.”
João 16.28-31. Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez [ele esteve na Criação] deixo o mundo, e vou para o Pai. Disseram os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não por figura alguma. Agora conhecemos que sabes todas as coisas, e não necessitas de que alguém te interrogue. Por isso cremos que saíste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora?
IV - Fases – detalhes:
1- Qual o local de sua ascensão?
Betânia – Lc. 24.50-53.
Localiza a Ascensão perto de Betânia, no lado leste do Monte das Oliveiras, a leste de Jerusalém.
Atos 1:12. Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, que está perto de Jerusalém, à distância da jornada de um sábado [1,2 km].
a- Teofania entendida.
A aparição agnelofanica é demonstrada na Bíblia com alguns detalhes dos personagens, entre eles as veste.
Isto está presente na Ascensão. “...dois homens vestidos de branco”.
No contexto lucano encontramos esta afirmação:
Lucas 9.28,29. Cerca de oito dias ... tomou Jesus consigo a Pedro, a João e a Tiago [...]. Enquanto ele orava, mudou-se a aparência do seu rosto, e a sua roupa tornou-se branca e resplandecente.
V- Exegese do Texto da Lição:
Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;
Atos 1:2. ...retomada.
...através do Espírito Santo ...mandamentos.
Após a Ressurreição de Jesus comunicou aos seus apóstolos a realidade da Sua
ressurreição [João 20, 21]
- a verdade da sua vocação como Messias [Lucas 24:44-49]
- a bênção do Espírito Santo [João 20:22, 23]
- e a realidade do seu corpo físico após a ressurreição [Lucas 24:37-43].
Depois de ter dado mandamento –
No verso 3 Lucas expressa em termos gerais, o que Cristo disse aos seus apóstolos durante esses quarenta dias.
Mas nos versículos 4 e seguintes, Lucas declara o que Jesus disse no dia de sua ascensão. Ele lhes trouxe às suas lembranças, o que lhes havia falado, anteriormente, e até aquele dia.
VI - Entendendo a ascensão sob o ponto de vista Teológico.
A partir, desse dia começam os Atos dos Apóstolos.
Qual a necessidade desta ascensão?
A resposta evidente:
A Questão da Promessa.
Sl.68.18-19. Tu subiste ao alto, levando os teus cativos; recebeste dons dentre os homens, e até dentre os rebeldes, para que o Senhor Deus habitasse entre eles. Bendito seja o Senhor, que diariamente leva a nossa carga, o Deus que é a nossa salvação.
Jesus cumprira toda parte terrena humana do Plano Divino, completando o Plano da Salvação, era chegada a hora, D’Ele retornar aos céus, aonde Estevão, segundo Lucas o viu a Direita do Pai.
Jesus retoma sem ter perdido, em momento algum, o seu lugar no Reino de Seu Pai, retoma apenas, o que deixara, na kenosis [esvaziamento da sua Glória, para se tornar servo-homem remidor].
1 Pe.3. 22. ...que está à destra de Deus, tendo subido ao céu; havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potestades.
A partir de agora, ele estaria agindo como nosso Intercessor, diante do Pai, posição que alcançara após a morte de cruz, pregado as potestades e aos mortos e realizado, a parte sobrenatural redentiva junto às potestades celestes e debaixo; além daquela realizada entre os mortos, antes de sua morte física na cruz.
1 - Ele inicia o cumprimento das Promessas;
2 - Batismo com o Espírito Santo;
3 - Voltar para os seus; Sua Vinda, já aguardada pelos que assistiram ao espetáculo da ascensão!
4 - Era a hora da sua glorificação e o retorno do Filho ao Pai, sob a condição de Fp.4.
VII - Perguntas complementares:
Para informar aos seus que Ele era dos Céus?
Qual a importância para o Círculo Apostólico e discipular, da ascensão?
A- Nuvem – Lucas nos relata que uma nuvem o ocultou.
Por que uma nuvem o ocultou?
Neste texto, que Deus no-lo concedeu, falo sobre o conhecimento dos Apóstolos, do Círculo íntimo de Jesus – Pedro, Tiago e João, pelo menos, quanto a vivenciar fato similar, em que a nuvem se apresenta, como parte da cena mística divina.
Lc.9.33,34. ...disse Pedro a Jesus: Mestre, bom é estarmos nós aqui [...] Enquanto ele ainda falava, veio uma nuvem que os cobriu; e se atemorizaram ao entrarem na nuvem.
Agora no Momento da ascensão de Jesus não há temor, mas expectativa e um que de saudade, do amigo, que João recostava no peito, que puxava a orelha de Pedro, que soprara sobre Tiago o Espírito Santo.
A nuvem anuncia a manifestação da divindade.
Este aspecto indica o caráter teológico da narração, em contraste com a possibilidade da narrativa de um evento histórico.
Note-se que a nuvem bíblica nada tem a ver com a nuvem grega, dos filósofos clássicos.
Traz-nos a lembrança a teofania veterotestamentária.
Moisés no Monte com Deus, Deus na fumaça do monte fumegando.
Fala da própria personalidade e identidade de Jesus Cristo, como Deus.
Lucas aponta para a presença de dois personagens, outra vez, nos remete as teofanias, principalmente, no caso de Abraão, quando a presença de Deus e do próprio Cristo Eterno se fazia acompanhar de varões de forma gloriosa.
Alguns escritores céticos destacam que não há expectação, na subida de Jesus, ou seja, no momento da sua ascensão aos céus.
Discordo.
Discordo, pois o texto deve ser lido com os contextos dos Evangelhos, seja o contexto próximo, ao mais distante, isto é o que aprendemos para elucidação de um assunto.
Cotejar contextos, ampliar ao conhecimento do assunto no que eu chamo de Ensino Geral da Bíblia, o que nos facilitará o entendimento do que lemos.
O mesmo escritor bíblico Lucas, faz referencia, menos detalhada, deste momento em seu Evangelho.
Lc. 24.52. “E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém”.
Isto comprova que este momento representou algo maravilhoso para os discípulos, afirmou a sua fé nas palavras de Jesus sobre a sua subida ao Pai.
A- Por que eles jubilaram?
Além de jubilo – Adoração.
Não foi pouco júbilo, mas grande foi o júbilo!
11.  ... Varões galileus, por que estais olhando para o céu?
O Olhar para cima, podia ser de expectativa, como dissemos, por talvez, esperarem mais alguma manifestação de Jesus ou celeste, de tal forma que o curto texto é continuado, com o aparecimento de anjos, ainda que em forma corpórea, como pedia o momento [lembre da tipologia – parábola, representação...], para tirá-los do estado de aguardo, em que ficaram.
Porque viram, e viveram, uma experiência única:
ver um homem ascender aos céus”.
Já havia a expectativa – vs. 8. -  Deste momento!
Já tinham a experiência da transfiguração, não todos, mas o fato deve ter sido comentado entre os discípulos e aqueles que vivenciaram a transfiguração puderam ter certeza plena que era algo divino, o que eles acabavam de ver.
VIII - A Criticidade do Momento:
Um evento com duração.
A ascensão foi, no meu entendimento das Escrituras, um evento de prazo não encurtado.
O escritor nos dá o atender inferido, em Atos1.9,10. “ vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia”
“ ...estando com os olhos fitos no céu,” significa que eles olhavam atentamente para o céu. Em outras palavras, isto mostra que a ascensão de Jesus diante dos olhos dos discípulos durou certo tempo.
A narrativa lucana mostra, que eles estavam absortos, com a cena que viam, muito além, da questão, citada por este autor neste subsídio, quanto à apreensão, Lucas demonstra em sua narrativa, curta, mas profunda, que eles precisaram ser alertados por dois varões, como transliterando: “Ei! ...este Jesus...”
Só então se deram conta, que nada mais restava ali, a não ser as suas memórias gravadas pelas palavras de Jesus e as obrigações a realizarem, dali em diante, sob a égide das mesmas.
A- Ilustrando:
É como, quando estamos num aeroporto, com o nosso amigo, pai ou irmão ficamos ali o ouvindo.
Conversamos sobre tudo, que ocorreu nos dias de sua estada, principalmente, se ele veio resolver alguma situação.
Ele nos é querido e importante, para os que ficam no aguardo de sua volta.
Ele promete voltar, mas tem alguns condicionantes, para sua volta.
Vamos com ele até a entrada do portão de embarque
Corremos para o terraço para ver o avião, ou embarcação, o vemos na pista, indo tomar o avião ou embarcação, e depois ficamos, pensativos “ele vai voltar?”
Aguardamos o avião ou embarcação subir e até ele ser ocultado por alguma nuvem!
Esta é a comparação para a ascensão de Jesus, com seus discípulos e Apóstolos.
Aquela era uma hora, era um momento, a qual, os discípulos pensavam em adiar, ou se possível, não ser necessário passar por ela, mas no íntimo eles sabiam ser fundamental, para cumprimento das Promessas.
No mínimo, pensavam eles, seria um espaço curto de tempo, assim dividido:
1- Jesus assunto aos céus
2- Jesus mandaria a Promessa do Pai, isto é, manda-lhes o Espírito Santo
3- A Igreja nasce
4- Realiza a evangelização na ordem geocrística – Jerusalém – era logo ali; – descer a  Judéia;  - Samaria – trechos conhecidos por andarem com Jesus;
5- Evangelizado o Mundo - No Mundo conhecido havia judeus espalhados, por todo ele - 
4- Jesus volta
5- Restaura Israel – “6 Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?”
Observe a expressão “neste tempo”, denota imediatismo; tempo atual ou próximo.
Ainda tinham a visão do reino messiânico em termos de poder político.
B- Jesus lhes mostra:
-O Reino era Internacional
-O Reino era de Deus.
-O Reino era Espiritual
Com sua ascensão, O Reino, seria regido, pelo ‘allos’, que atuara:
-  no seu Nascimento,
- na sua Capacitação ministerial, como homem, e confirmação da divindade, no Jordão, resultando num Ministério de poder e maravilhas;
Agora na ascensão, Ele – Espírito Santo – atuaria dentro do próprio homem, como descera sobre Jesus.
C- A ascensão encerra lições, no seu momento final.
Entre elas:
11. ...há de vir assim como para o céu o vistes ir.
Jesus voltará corporalmente, no sentido literal, no mesmo corpo, que subiu.
Mas, havia coisas a saber nestes dias, ou melhor neste dia – “7 E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.“
Havia de se confirmar, que a direção do Mundo, tempos e era, desde o aeon, se escrever desde, esteja correto, Deus dirige os Fatos e Atos de todos, e Ele seria o condutor dos Atos dos Apóstolos.
Porém com um vigor ‘dunamis’, ainda desconhecido, em sua completa virtude, pelos Apóstolos e Discípulos – “8 Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós”
IX - Retomando o pensamento da frase inicial deste tópico.
Uma concentração, segundo Lucas.
Cerca de 500 irmãos.
a- Era um momento crítico para a fé dos discípulos.
Tanto era assim, que no Evangelho de João. Cap. 14, Jesus teve que acalma-los, de suas apreensões por aquele momento. 1. Não se turbe o vosso coração;23. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize....
28. Ouvistes que eu vos disse: Vou, e voltarei a vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai;
Quem tem poder para ir, poder tem para voltar, pois foi como vencedor.
b- Havia coisas a cumprir nos céus.
João Cap. 14.1-3. Não se turbe o vosso coração; [...] Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
c- A estada de Jesus após a ressurreição, entre os seus discípulos, serviu como diz Lucas:
Explicar-lhes coisas do reino dos Céus, para onde Ele iria e de onde voltará para busca-los.
3 aos quais também, depois de haver padecido, se apresentou vivo, com muitas provas infalíveis, aparecendo-lhes por espaço de quarenta dias, e lhes falando das coisas concernentes ao reino de Deus.” –
d- Necessitava daquele momento para aclarar-lhes a mente, para as verdades eternas, lhes dita na ascensão.
João 16. 12. Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora.
Abrir-lhes o conhecimento de coisas antes não entendidas.
João 14.18,19. Não vos deixarei órfãos; voltarei a vós. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais; mas vós me vereis, porque eu vivo, e vós vivereis.
Promessa de que o que eles veriam seria um sinal, para todos da forma prometida e da presença garantida junto a Ele, que veriam como se daria a ida para junto D'Ele. 
e- Mostrar que era Ele mesmo quem ressuscitara dos mortos –
f- Dar provas, nas palavras de Lucas – “infalíveis” - de sua Divindade completa e de sua completa humanidade, em corpo glorificado. João 20.36.ss. Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio ...
g- Completar seus ensinos, à respeito do reino dos céus.
Atos 1.2. até o dia em que foi levado para cima, depois de haver dado mandamento, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;
Aguarde e peça para Jesus, nos abrir o entendimento, à respeito das Escrituras.
Lc.24.45-46. Então lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras; e disse-lhes: Assim está escrito que o Cristo padecesse, ...
-Dar-lhes conhecimento da autoridade da Igreja, em Seu Nome.
João nos relata:
João 20.36-43.Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco.E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. [...] Disse-lhes ...outra vez: ... assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E, ... assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.
Como escrevemos acima:
Ascensão e assunção designam acontecimentos semelhantes, mas na primeira – ascensão - a subida se dá por conta própria e na segunda – assumpção - a elevação depende de outros.
At.1.1,2;9-11.FIZ o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar...Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;
- Ninguém o veio buscar, mas Ele chegou de volta.
Vencedor da Morte e do Inferno.Aleluia!
9 E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.      E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
D- Os aspectos abençoadores da Ascensão de Jesus Cristo.
At.1.4-11.  E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes.
Deu-lhes mandamentos
Prometeu-lhes o Revestimento do Espírito Santo
Deu-lhes a conhecer como seriam arrebatados
Confirmou a sua volta da mesma maneira, pelos seus anjos
Deu-lhes uma mensagem de Perseverança – “Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder”.
Determinou:
-Lugar
-Presença nos cultos
-Esperar – precisamos aprender a esperar, observando a Boca de Deus quando fala conosco.
-Não só esperar, mas esperar no lugar.
-Saber o lugar de esperar é uma lição dada na ascensão: Obediência!
Quando cotejamos Atos dos Apóstolos, como contexto próximo podemos entender melhor esta passagem.
Melhor ainda, é estar com Jesus para ouvir a suas determinações para onde ir, aguardar, e o que devemos fazer.
-Promessa.
5 Porque, na verdade, João batizou em água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias.
Jesus já lhes havia concedido promessa, mas era uma Promessa especial – A Promessa do Pai.
CONCLUSÃO:
A Ascensão de Jesus aos céus demonstra a conclusão de uma Etapa crucial para todos os homens.
Jesus ascendido aos céus nos garantiu o envio da Promessa do Pai, para a Igreja.
Afinal Jesus foi recebido pelo Pai, estando assentado à sua direita.
Estevão o viu, logo após aqueles dias: At.7.56. Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem em pé à direita de Deus.
Jesus demonstra para os Apóstolos, a forma que subiremos com Ele no Arrebatamento, infunde esperança e certeza que subiremos e seremos assumptos aos céus pela sua Glória manifestada na Igreja pelo Espírito Santo.
A forma da imagem ‘imago dei’ mantida, apenas glorificada, nos garante que seremos como Ele é nas palavras de quem assistiu a ascensão: “1 João 3.2. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos.
O Apóstolo João nos dá a sua garantia canônica pelas Escrituras, pela voz de quem estava lá como testemunha.
Cristo assumpto aos céus era prova cabal para garantir a sua Ressurreição, entre os mortos, diante de um corpo apostólico e discipulado.
Sim, Ele vem nos buscar para estarmos com Ele.

1 Co.15. 3-7. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras; que apareceu a Cefas, e depois aos doze; depois apareceu a mais de quinhentos irmãos duma vez, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormiram;depois apareceu a Tiago, então a todos os apóstolos;
Sem a ascensão visível aos Apóstolos a Igreja ficaria com interrogações.
O período de sua estada por 40 dias, com seus discípulos permitiu-lhe, abrir os seus entendimentos, para tudo que lhes ensinara por 3 [três] anos.
Era-lhe necessário completar este ensino com a ascensão.
Quem esteve ao lado de seus discípulos não poderia ir-se sem uma despedida digna, aos que creram em sua deidade, aos que e aguardavam um sinal para poder continuar o Ministério Crístico sem o principal personagem – Jesus Cristo.
Assim, a ascensão nos fala de amor íntimo, de intimidade coletiva entre Jesus e seus discípulos.
Fala de participação de segredos divinos revelados na hora de sua partida
Fala da sua Compaixão, com a confirmação pelos anjos aos discípulos.
Fala que Jesus, em sendo Deus cumprirá todas as suas Promessas.
Que o batismo com o Espírito Santo era uma questão de obedecer a ordem de Jesus “ficai em Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de Poder”.
O que desceu, foi o mesmo que subiu.
Fonte:
Prof. Doutor Deonísio da Silva - doutor em Letras pela Universidade de São Paulo, professor e vice-reitor de Cultura da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro.
Tarciso S. Filgueiras
A Prova que Jesus Ascendeu aos Céus
Dicionário Proberam
Sermões luteranos
Bíblia Plenitude
Bíblia on line Chamada
Bíblia Dake
OSBoyer – Dicionário
Bíblia do Ministro
Gehard Hasel
Teologia do AT e NT

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical