sexta-feira, agosto 26

Preservando a Identidade da Igreja Lição 09 – CPAD

Preservando a Identidade da Igreja
2João 9 Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.10 Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
Lição 09 – CPAD
Autor: Osvarela
Texto Áureo: 2 Co.11.3. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.
Leitura Bíblica em Classe. Atos 20.25-32.

Frase ditame:
“Não é a fé, apesar de sua dinâmica própria, que fornece o critério para a legitimidade da Igreja. A Igreja é legitimada pelo Evangelho, a mesma fonte da qual nasce a fé. Deus, e só Ele, quer falar, agir e governar, em sua Igreja”. LUTERO, M. Contra o papado em Roma, 1545 (WA 54).
Pequeno Glossário – vide final.
EXÓRDIO.
Uma Visão Assembleiana.
As Assembléias de Deus no Brasil é uma Igreja Centenária, que tem conseguido manter uma identidade fabulosa diante da Sociedade Brasileira.
A mobilidade entre seus membros e lideranças, a caracteriza
Há uma identificação solene quando se fala da Assembléia de Deus Brasileira.
Isto se deve a atuação continuada de suas lideranças.
Eu tenho uma formulação pessoal sobre a Identidade da Assembléia de Deus:
Os que Influenciam sem serem vistos:
Primeiro - há um agrupamento de homens de Deus absolutamente envolvidos nesta Obra, de tal maneira, que como Bispos, da mesma, influenciam de maneira propositiva doutrinaria a mantença da maneira de marchar, ao longo dos anos, da mesma.
Segundo - há uma forja de homens que lidam com a questão teológica pratica da Assembléia de Deus, que mantêm uma equalização do pensar da nossa Igreja como um só, com pouco ou nenhum desvio.Não confundir, com Costumes.
Os Que Necessitam Liderar:
Dados por Deus, à Igreja.
Terceiro - há uma liderança visível, que consegue assimilar estes dois conjuntos de Bispos, e usar a sua Voz como Atalaias na direção, encaminhamento, e imposição pela boa-vontade, e com coalizão de forças ao Corpo Místico da Igreja de Cristo.
Talvez seja esta a melhor forma de preservação da Identidade da Igreja.
O que é Identidade da Igreja?
A questão da Igreja deve ser analisada sob a ótica do ‘religare’.
Isto é religiosa.
Esta questão está fundamentada pela questão da ter ou mudar um propósito de vida a ser seguido e observado.
A Igreja, como disse Lutero não é um estamento dos Bispos e Clérigos, isto é a Igreja não é um feudo humano, mas é o Corpo místico de Cristo, O Cabeça, e mas é um Corpo.  1Co.12.12.ss.Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Como leremos mais abaixo.
Todos somos um corpo, porém cada membro tem sua própria função, com a qual serve aos outros.
Tudo isso se deve ao fato de que o Evangelho e fé é que tornam as pessoas espirituais e cristãs.
Identidade - a palavra em si demonstra que há algo que denota alguma coisa que demonstra diferença do ente Igreja.
Identidade fala de uma face aparente.
Qual é a face da Igreja?
2 Co.3.18. Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.
Fala da identificação, ou que há uma aparência, seja ela demonstrada pela Divindade, seja ela demonstrada na vida dos que a compõem.
Como se Construiu a Identidade da Igreja?
A identidade de uma Igreja é formada por um Conjunto de valores, que a mesma transmite, em sua Crença dogmática, em sua formação eclesial, em sua formação eclesiástica, em sua formação de membresia, pela qual são aceitos como membros os que professam os valores desta entidade, organismo e instituição.
Para nosso caso, estamos estudando a Igreja sob o ângulo de vista, de sua Identidade Cristã, sendo a representação divina entre os homens.
Assim, temos que estudá-la como base em sua Fundação – edificarei a minha Igreja – pois, os valores para estabelecimento desta Identidade é plural:
-Divino
-Humano
Pois, o Cristo - O Filho do Deus Vivo, anunciou, assim, o seu estabelecimento – Mt.16.18.
16-20.  E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.
Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.
Então mandou aos seus discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo.
Que valores formam a Identidade da Igreja?
Teológicos: aqui sentido total de Theo -
Cristo
 - a Igreja tem a sua identidade cristocêntrica, como fruto da ação expiatória de Jesus de Nazaré – O Cristo de Deus.
Divindade – Baseada na crença da Ação divina da Trindade – O Pai, O Filho e o Espírito Santo;
Revelação – Dada aos homens, pelo Cristo, através do Espírito Santo:
Gl.1.11,12. Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens.Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.
Não há Exclusivismo:
2Pe.1.20. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.21 Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
É na Igreja que a neo-revelação, agora pleromatica, se encontra, através do Filho Encarnado.
Na própria Escritura se lê:
Ef.1:22-23 – “E sujeitou todas as coisas debaixo dos seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja, que é o seu corpo, a plenitude [pleroma] daquele que enche tudo em todos”.
Esta plenitude é confirmada, pela Vitória da Cruz e nos traz a identificação ou identidade da Igreja pelo Cristo,  O Cabeça, que dá a Igreja Universal, a sua identidade e face.
Col.1:19 – “Pois foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse”.
Temos então que a Identidade da Igreja é pleromática.
Col.2:9-10 – “Pois nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. E recebestes a plenitude em Cristo, que é o cabeça de todo principado e potestade”.
Pela presença do Cristo.
Ao invés de ser um cerceamento, como muitos pensam, e admitem isto, para nossa vida como membros legítimos da Igreja, na realidade a Igreja deve possuir, aquilo que Paulo pregava e escreveu:
Virtude de Pensar O Bem:
Fp.4.8. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
Esta é a identidade da Igreja, através dos membros, citados em 1 Co.12.
A verdadeira igreja age em toda a esfera espiritual, tudo foi dado para ela realizar “Numa perspectiva pleromática, não se pode admitir que igrejas devam especializar-se em alguma área específica, como cura, dons espirituais, louvor e etc. A igreja de Cristo não pode satisfazer-se com menos que o Todo. E para isso, ela deve procurar encher-se de toda a plenitude de Deus”.
Igreja:
Cl.3.16. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.
Esta não é nem o sujeito e nem o objeto da missão, mas é seu meio, o espaço libertado em que se celebra a presença de Deus no lado inverso do mundo. Não é o lugar em que nasce, mas apenas aquele em que ressoa o anúncio. É só isso que se diz quando se afirma a Igreja como criatura da Palavra, de uma Palavra outra, cuja alteridade está em apresentar-se em o que não tem o semblante de Deus. Portanto, a revelação é celebrada, acolhida e discernida na Igreja, mas não é nela nem criada e nem mantida, nem assegurada. A revelação não é a mensagem da Igreja para o mundo, mas a mensagem de Deus que, através de sua presença mascarada no mundo, cria e recria a Igreja”. Vítor Westhelle
Culturais:
Eclesiologia.
Formação:
Grupo étnico:
Nascida na Judéia cresceu entre todos os homens gentios, sendo derrubada a parede de divisão entre os povos: Hebreus e Gentios [todas as raças] – fazendo dos dois povos um só povo...
Ef.2.15-20.  Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;20 Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;
Esta comunidade dos homens crentes em Jesus Cristo, se denomina Igreja de Deus, Família de Deus - Ef.2.19. Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus; formada por todos, que creram e crêem, viveram, e vivem na esperança da Iminência.
É a Comunhão e agrupamento dos Regenerados.
A interpretação da Revelação não está esgotada em um só homem. 2 Pedro 1.20. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
Definição:
Ekklêsia –ek [preposição] – fora de + kaleõ [verbo]
A palavra Igreja é uma palavra não cristã, que no original significa: ‘uma assembléia de cidadãos da um burgo, que são chamados para fora da cidade, para uma reunião com propósito específico’.
Esta palavra inserida pelo próprio Cristo nos termos canônicos significa a Assembléia, ou ajuntamento dos Santos, escolhidos, eleitos, povo especial, separado para Deus e tirados do Mundo [mundo espiritual da maldade-reino parasita do mal], para serem Igreja de Deus seus representantes legitimados pela Crença em Jesus, como Único Salvador da Humanidade. Osvarela
O Termo Ekklesia sintetiza de forma impressionante o ser Igreja: São os chamados para fora.
Eis o mitte eclesial – “Chamados para fora para ficar com Ele”.
A Identidade da Igreja de certa forma é como a Ilustração do barco:
O barco está no mar, mas não faz parte dele. A sua utilidade e identidade está exatamente aí, ele não faz parte do mar, embora seja útil para as pessoas que estão no mar [crentes], para navegarem sobre o mar. Ele é exatamente o instrumento que foi projetado para andar sobre o mar. No momento em que as águas do mar entrarem no barco, ele perde a sua utilidade. Assim é a Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo.
Não podemos ser úteis quando perdemos a nossa identidade, para qual fomos chamados.
 Jo 15.19. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.
Fundamentada:
O Fundamento da Identidade da Igreja, não é Estamentário.
Cl.2.7. Arraigados e sobreedificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças.
Nesta junção enxertada, na Videira Verdadeira, encontramos os pertencentes à Igreja, que seguem os seus valores divino-humanos, como  Jesus Cristo.
Cl.2.7. Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo;E agora, na verdade, sei que todos vós, por quem passei pregando o reino de Deus, não vereis mais o meu rosto.
O Apostolo Paulo no texto da leitura bíblica em classe expõe de maneira clara, que a Igreja não deveria procurar a sua Identidade, nele ou em qualquer outra pessoa, e até mesmo em uma visão, angelical.
Cl.2.6-8.  Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele...
Pois, assim ela estaria livre do que viria acontecer com a ascensão de homens: ‘Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.’
Ef.2.20 Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;
Ou seja, a Igreja não está como na definição das palavras de Lutero [Sec.XVI], sobre o domínio humano, mas sob o domínio divino, por ter a sua Identidade divino-humana, sob a liderança, não das cabeças humanas, mas do Cabeça: Cristo.
“...que o papa, os bispos, os sacerdotes e os monges sejam chamados de estamento espiritual (Geistlich stand); príncipes, senhores, artesãos e agricultores, de estamento secular”, orientando os cristãos alemães a não se intimidarem “por causa disso, e pela seguinte razão: todos os cristãos são verdadeiramente de estamento espiritual, e não há qualquer diferença entre eles a não ser exclusivamente por força do ofício, conforme Paulo diz em 1Co 12.12ss.:Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. 20 Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo.
Observando com cuidado, a questão de não deixarmos a Igreja ser presa de homens, mas apenas viver sob a identidade da genuína Revelação de Deus.
Ou aproveitando o texto canônico deixar de obedecer, àqueles a quem Deus deu à Igreja, como pastores, doutores, evangelistas...
A Identidade da Igreja é Universal:
Como Cristo rompe a parede de separação, a Igreja se torna católica, no sentido de Universal.
Portanto, abrindo um parêntesis, creio numa Igreja que segundo Lutero, não pode estar sob a vontade de um único homem,
Todos nós somos sucessores de Jesus Cristo, como Filhos por adoção.
Texto compilado nas fontes citadas: Por isso é que se pode dizer que há um jeito cristão de ser homem, de ser mulher, de amar, de trabalhar, de viver, de sofrer, de ser feliz. Esse jeito cristão de ser e de viver o amor não é facilmente discernido no dia a dia. A alteridade expressa na observação [imitar] do viver em Cristo é um traço essencial da identidade cristã.
Como preservar a Identidade:
1- A identidade da Igreja só pode ser preservada sob a ótica de Cristo.
Cristo é o Fundamento
É onde a Igreja está edificada e arraigada.
“Oro para que, estando arraigados e fundados em amor, possais perfeitamente compreender, COM TODOS OS SANTOS, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a ele seja glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém”.
Não há como transmutar o Centro da Igreja, para outros ensinos que não sejam Cristocêntricos.
1.Co. 12.27. Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.

Quando na revelação dada ao Apóstolo Pedro, sob a questão de quem os discipulos achavam quem era Jesus, Ele revela a base da Identidade da Igreja.
Fundamento inabalável - 1Co 3:11 - Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.
Pedra de esquina.
Nos fala dos ensinos dos Apóstolos, os quais devem ser mantidos:
Ef.2.20.Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;
Mt.16.16  E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.
18 Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja...
A Igreja não pode conformar-se com o mundo.
Rm.12.1,2. Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
-Deve manter o culto racional.
Certos movimentos têm levado crentes a êxtase, sem noção do que fazem, pensando que são mais espirituais do que os demais.
Continua transformação do entendimento, da mente, da forma de pensar, para agir com racionalidade, afinal tudo o que fazemos se transforma em culto a Deus, como oferta movida.
A Identidade da Igreja só será preservada, ao compreendermos qual é ‘a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus
-Só se mantém identidade enquanto andarmos dentro dos rudimentos da Boa Doutrina, com pensamento renovado pela lavagem da água do Espírito.
Cidadãos do Céu:
A Igreja tem na sua Identidade uma língua própria:
Para manter a Identidade preservada devo conhecer as regras de quem me deu a cidadania.
A Igreja aqui é peregrina, por isto o sua identificação com o mundo só acontece na vida física do homem, ou mulher.
Mas, com a mesma aparência dos deste Mundo, somos apenas peregrinos e andamos neste Mundo por um pouco de tempo e todos devem nos reconhecer como portadores de uma identidade diferente.
Quando nos apresentamos num ‘chek-in’ de um aeroporto, ou uma barreira alfandegária de outro país, a nossa fala nos condena, a nossa roupa nos identifica.
Não podemos perder a identidade e nos misturarmos no meio do vulgo, pois sempre a nossa fala não é mais sibolete, mas chibolete.
A hora do galo cantar.
Pedro e a fogueira, no pátio do Sinédrio são o melhor exemplo.
Lc.22.54-62. Então, ... Pedro seguia-o de longe.E tendo eles acendido fogo no meio do pátio ... sentado à roda, sentou-se Pedro entre eles.Mas Pedro o negou, dizendo: Mulher, não o conheço.Daí a pouco, outro o viu, e disse: Tu também és um deles. Mas Pedro disse: Homem, não sou.E, tendo passado quase uma hora, outro afirmava, dizendo: Certamente este também estava com ele, pois é Galileu [e tua fala é semelhante.;pois a tua fala te denuncia.;.] Mas Pedro respondeu: Homem, não sei o que dizes. E imediatamente estando ele ainda a falar, cantou o galo.Virando-se o Senhor, olhou para Pedro; ... como lhe havia dito: Hoje, antes que o galo cante, três vezes me negarás. E, havendo saído, chorou amargamente.
A Igreja não quer chorar, como Pedro chorou:
A identidade da Igreja é como um selo eterno,mesmo aqueles que se afastam, muitas vezes são confrontados.
-Primeiro para terem a oportunidade de arrependimento;
-Segundo, para que caiam em si e vejam o poder da marca da Igreja.
Como no caso dos efraimitas a igreja deve saber identificar as investidas, daqueles que parecem falar a íngua da Igreja [identidade, se demonstra pela língua que se fala], e querem entrar usando uma palavra parecida, mas não legitima.
Cuidado com os Novos Efraimitas:
É necessário estarmos a tentos aos ‘efraimitas’ de nossos dias que vão formar o ‘vulgo [populacho; os descompromissados com a igreja’ no meio do povo, levando-o a sentirem o desejo do alho e das cebolas do Egito.
Juízes 12. 5 E tomaram os gileaditas aos efraimitas os vaus do Jordão; e quando algum dos fugitivos de Efraim dizia: Deixai-me passar; então os homens de Gileade lhe perguntavam: És tu efraimita? E dizendo ele: Não;
6 então lhe diziam: Dize, pois, Chibolete; porém ele dizia: Sibolete, porque não o podia pronunciar bem. Então pegavam dele, e o degolavam nos vaus do Jordão. Caíram de Efraim naquele tempo quarenta e dois mil.
A Igreja de Cristo para manter a sua identidade original deve ser como o óleo e a água.
Não misturar-se com o que a envolve.
-Água ou Vinho.
-Óleo ou Água.
Ou mesmo ser como água e vinho, como assim, uma pouco de vinho faz com que a água sendo água já não é mais água pura.
As alegrias do mundo – concupiscente, querem entrar na igreja até mesmo nas liturgias, notadamente a hinologia, tem sido alvo deste ataque em nome da contemporização ou de que todos os ritmos são aceitos e que Satanás não tem nada.Engano.
Eu tenho ensinado que o primeiro dito, ou seja, o rap de ditame a favor da violência está na Bíblia, na boca de Lameque, o primeiro do nome.
Gn.4.23,24. Disse Lameque ...: Ada e Zila, ouvi a minha voz; escutai, mulheres de Lameque, as minhas palavras; pois matei um homem por me ferir, e um mancebo por me pisar.Se Caim há de ser vingado sete vezes, com certeza Lameque o será setenta e sete vezes.
Alguns crentes têm adotado em seus sons, o gosto em ouvir certos tipos de musica.
Manter o Amor e a Singeleza.
O mandamento do Amor.
O mandamento da simplicidade.
Singeleza – falta de malícia ou de valorização do ego. Rm.12. 10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, [preferin]do-vos em honra uns aos outros;
A Visão do Cristo.
A Pauta da Igreja – Amor.
Quando Jesus cita mandamentos aos seus ouvintes ou inquiridores, ele coloca o amor e a singeleza como base toda a lei de Deus.
Este é o Novo Mandamento.
Dar a vida a favor do que não pode ser amado por ninguém.
-Amar a quem conhecemos é fácil, amar ao desconhecido inimigo é a lição da Igreja ao Mundo.
-Amar aos desprezíveis;
-Amar a prostituta
-Amar ao homossexual – desprezando o pecado e ensinando o que a Palavra de Deus ensina à respeito;
-Amar ao mendigo fedido e chagado da porta do rico é a lição neotestamentária da Igreja.
Esta é a pauta do amor verdadeiro.
17 Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros.18 Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim.19 Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.20 Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, guardarão também a vossa
Cuidado com a Corrupção.
...assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.
O texto áureo da lição nos dá a orientação a seguir.
Termos cuidados e vigilância para que a Igreja não seja atingida, pois alvo ela sempre será, pelas doutrinas diferenciadas e não divinamente inspiradas.
No percurso da Igreja, ao longo dos séculos fomos atingidos, por doutrinas, que escapavam do ‘mitte’ eclesial: Cristo.
Assim, tivemos figuras como Marcião, e outros que não entenderam a doutrina cristã, que tem o Unigênito como fundamento, mas tem o seu caráter forjado no Plano divino, no qual todas as Pessoas do Deus Uno estão presentes: Pai, Filho e Espírito Santo, perderam-se em devaneios doutrinários.
Há bem pouco tempo em nosso meio apareceram visionários, na outra América, mas oriundos do Brasil, que colocaram esta Identidade da Igreja em complicada versão doutrinária, e acabaram por romperem-se na corrupção do ensino e espiritual.
Desta forma é necessário buscar o rudimento apostolar:
Atos 15.28,29. Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.
Quando o escritor aos Hebreus aponta que devemos ultrapassar os rudimentos, na realidade ele está apontando, para o crescimento maduro e revelacional, que na teologia cristã chamamos de Revelação progressiva.
É por esta virtude, pela qual leva ao tempo certo, a Igreja cresce pela constante revelação de Deus, à cada fase da Igreja, em maturidade e pelos acontecimentos do Cronograma Divino da Salvação dos povos, pelo qual precisamos obter conhecimentos que à Luz da Bíblia nos vai conduzindo a um entendimento e crescimento à perfeição da Salvação.
Ou seja, o crescimento, além do que lemos acima, se dá no quesito pessoal e da Igreja em chegar ao momento da Iminência, aperfeiçoada em Jesus Cristo.
Contudo o escritor canônico aponta: o fundamento divino, não seja retirado e outro seja lançado.
Ef.2.20. Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;
Pois, o fundamento foi lançado na Cruz do Calvário em um único sacrifício, pelo Sumo Sacerdote Eterno, incorruptível.
Hb.6.1 POR isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus,
O Fundamento – Cristo – não pode ser corrompido, pela sua própria Natureza, mas pode vir a ser corrompido em nosso pensamento humano.
O Fundamento “fundamento dos apóstolos e dos profetas” nos fala da Igreja no seu nascedouro Apostólico, sob a orientação apostólica.
A Corrupção não é aceita.
Deus conhece os que são seus e os que não são seus, ainda que pratiquem a Obra da Igreja – curar os enfermos, ensinar, pregar a Palavra, serão identificados, no Dia do Juízo de todos os homens.
E não adiantará apresentar o que fizeram em nome de Deus, pois não terá validade, pois não foi validado pela Igreja.
Ef.1.13,14.  Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória.
Os homens podem pensar que pertencem a Igreja Universal, ou Organismo Divino, na qual, há um selo identificador na Igreja, o qual não possui os que estão apenas na Igreja instituição.
Membros da Igreja divina, não possuem Cartão identificador, mas Selo”.Osvarela
2 Ti. 2.19.Todavia o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo : O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade.
A corrupção dos sentidos espirituais, no seio da Igreja levará a quem nela for encontrada, a ser ‘vomitado’ da boca de Deus. Ap.3.
Alerta:
Gl.1.8. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
O alerta de Paulo na Epístola, aos da Galácia, se torna mais evidente, em nossos dias.
É notório o levantar de novos pensamentos na seara do Evangelho.
Homens que se levantam com ‘nova visão’, tida por eles como uma nova forma da Igreja caminhar, como complementação ou expansão do evangelho Apostólico de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Cuidado, como os que se dizem portadores desta exclusividade.
Entendemos que, no sentido de expansão da Igreja e visão ministerial o Espírito Santo concede a cada um a orientação necessária, em função do Corpo.
Seja por cultura diferente;
Seja por modo de viver diferente, o que aconteceu nos idos de Paulo, Pedro e Felipe e os demais que andaram nos novos passos da expansão geográfica, da Igreja
Conclusão:
Ef.1.10,11.  De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra; Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade;
É necessário estarmos alertas e cuidadosos nestes tempos de frieza espiritual.
Tempos em que se manifesta a falta de temor de Deus.
De varias formas nós temos visto acontecer:
Pelo destrato com as coisas de Deus.
Pelo desrespeito com a liturgia do culto verdadeiro;
Pela falta de temor, ao ver os que Deus deu a igreja, apesar do alerta acima – estamento – como sem valor ou merecedores do respeito dos crentes;
Sem visão da capacidade da Igreja como agente de transformação da Sociedade, o mar que vivemos está bravio e nós nos sentimos seguros dentro de nosso barco, sem lançar salva-vidas aos que se afogam, ou estendendo a mão, como Jesus à Pedro no Mar da Galiléia;
Desprezando a Crença Legítima, razão da Igreja:
Jesus Cristo;
Único Salvador – Zafenate Panéia
Detentor das chaves da Morte e do Inferno
Filho Unigênito de Deus
Col.2:9-10 – “Pois nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. E recebestes a plenitude em Cristo, que é o cabeça de todo principado e potestade”.
Realizou um Único Sacrifício por todos os homens, e comeste tem Todo Poder, inclusive para ser O Cabeça da Igreja, como verdadeiramente o é!
Desprezando o vínculo, que nos forma uma família.
Somos irmãos, já nem tanto?
Será por culpa exclusiva nossa.
Cl. 3.11;Gl.3.28.
A Igreja é uma fraternidade e comunhão espiritual, na qual foram abolidas todas as divissões que separam a humanidade. Myer Pearlman
Desprezando a eleição igualitária e eterna.a qual nos inclui no Corpo Místico do Senhor.
É tempo de alerta, para mantença de uma Identidade conquistada por preço caríssimo.
É Tempo de mantermos:
O testemunho da Verdade;
A Multiforme Sabedoria de Deus na Igreja;
A Eterna Glória de Deus.A Igreja existe para glorificar a Deus.
Edificar os membros
Disciplinar os membros – Mt.18.15-17.Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão;Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.
Fazer apologética evangélica do Gospel – Boas Novas da Salvação.
Evangelizar o Mundo
Devemos atentar para a Finalidade [sucinta] da Igreja:
Em não nos afastarmos da meta de produzir:
A Unidade
A Maturidade
O Aperfeiçoamento nosso, templo que somos de Deus.
Conhecendo melhor a Identidade da Igreja poderemos preservar o legado dos Apóstolos e dos Pais da Igreja em todas estas eras em que Ela está de pé e aguardando a Vinda de Nosso senhor Jesus Cristo, no Arrebatamento. Maranata!
Pequeno Glossário:
Estamento - Constitui uma forma de estratificação social com camadas mais fechadas do que classes sociais, e mais abertas do que as castas, ou seja, possui maior mobilidade social que no sistema de castas, e menor mobilidade social do que no sistema de classes sociais. É um tipo de estratificação ainda presente em algumas sociedades. Nessas sociedades, do presente ou do passado, o indivíduo desde o nascimento está obrigado a seguir um estilo de vida predeterminado, reconhecidas por lei e geralmente ligadas ao conceito de honra, embora exista alguma mobilidade social. Historicamente, os estamentos caracterizaram a sociedade feudal durante a Idade Média.
Congregação – εκκλησίασμα- ekkli̱síasma
Alteridade - É ser capaz de apreender o outro na plenitude da sua dignidade, dos seus direitos e, sobretudo, da sua diferença. Possui o significado de se colocar no lugar do outro na relação interpessoal, com consideração, valorização, identificação e dialogar com o outro. A pratica da alteridade se conecta aos relacionamentos tanto entre indivíduos como entre grupos culturais religiosos, científicos, étnicos, etc.
Ditame- s.m. O que se dita. Preceito ditado pela razão, lei ou consciência.
Fonte:
Hermes C. Fernandes
Site pleromático
Bíblia Chamada
SETAD-SP
Die Bekenntnisschriften der evangelisch-lutherischen Kirche [Confissões da Igreja Evangélica Luterana] (BELK)
RELIGIÃO, IDENTIDADE E SINCRETISMO: MÚLTIPLOS OLHARES SOBRE UM FENÔMENO - Por Marlon Oliveira
ALVES, Rubem. O enigma da religião. 4ª edição. Campinas. Editora Papiros. 1988.
Identidade Religiosa e Geografia Cultural – Tese religiosa
IDENTIDADE CRISTÃ E PLURALISMO RELIGIOSO CONTEMPORÂNEO: UMA REFLEXÃO A PARTIR DA ABORDAGEM TEOLÓGICA DE CLAUDE GEFFRÉ. PANASIEWICZ, Roberlei (PUC-MG)*
Author: Hermes C. Fernandes - Introdução à Visão Pleromática
Bíblia digital – cortesia Tio Sam
Vítor Westhelle - graduado em Teologia pela Escola Superior de Teologia da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), em São Leopoldo, mestre e doutor em Teologia pela Escola Luterana de Teologia de Chicago.
LUTERO, M. Contra o papado em Roma, 1545 (WA 54).

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical