terça-feira, junho 10

O Ministério De Mestre Ou Doutor Lição 09 CPAD

O Ministério De Mestre Ou Doutor.
Lição 09 CPAD                                             Editor e Autor: Osvarela
Foto do menor pastor de ovelhas, do Mundo
DIA DO PASTOR – minha homenagem a todos os pastores, que como eu somos dados por Deus à Igreja. Parabéns!
TEXTO ÁUREO:De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino;” Romanos 12:6-7
LEITURA BÍBLICA
1-     Mateus 7:28-29
E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina; Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas.
2-    Atos 13:1
E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo.
3-    Romanos 12:6-7
De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino;
4-    Tiago 3:1
Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo.
ETIMOLOGIA
Rabôni – palavra em aramaico que quer dizer Mestre – “E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras?” João 1:38
Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele”. Jo 3:2
Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni, que quer dizer: Mestre”. Jo 20:16
Ef. 4:8 dar à Sua amada igreja homens para ensinar-lhe a verdade de Sua Palavra: “E ele
[i.e., Cristo] deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas,
e outros como pastores e mestres” (v. 11, ARA).
 Mestre está para a Igreja na função de serviço – diakonia
διακονος - diakonos; n m/f. alguém que executa os pedidos de outro, esp. de um mestre, servo, atendente, ministro; no sentido espiritual em relação aos que servem à Igreja de Deus: o servo de um rei; diácono, alguém que, em virtude do ofício designado a ele pela igreja, cuida dos pobres e tem o dever de distribuir o dinheiro coletado para uso deles
διδασκαλος - didaskalos; n. m. professor; no NT, alguém que ensina a respeito das coisas de Deus, e dos deveres do homem; alguém que é qualificado para ensinar, ou que pensa desta maneira; os mestres da religião judaica; daqueles que, nas assembleias religiosas dos cristãos, encarregavam-se de ensinar, assistidos pelo Santo Espírito.
διδασκω - didasko; v.  ensinar;  conversar com outros a fim de instruir-los, pronunciar discursos didáticos; ser um professor; ensinar alguém; dar instrução;instilar doutrina em alguém;explicar ou expor algo;ensinar algo a alguém.
Mestre - sm (lat magistru; magister); O mesmo que professor. latim – subs. mas. pessoa que ensina e orienta; Aquele que dá aulas; o que comanda ou dirige, professor. Fig. - Pessoa que tem muitos conhecimentos, ou versado em qualquer atividade, ciência. Guia espiritual. Mentor.
- Diz-se de pessoa ou coisa que ocupa lugar proeminente ou distinto em relação aos demais.
- Que serve de base, de referência; que é principal (viga mestra, estrada mestra, projeto mestre)
- Fig. Exímio, perito (mãos mestres)
- s.m. Professor de grande saber e nomeada. P. ext. O que é perito ou versado em qualquer ciência ou arte.
Pessoa que ensina. = Docente, Professor
Pessoa que domina muito bem uma atividade.
Todo o que pode servir dando ensinamento.
Pessoa que detém um mestrado.
Καθηγητης – kathegetes - n m.  guia; mestre, professor.
אדני ’adown aw-done’ ou (forma contrata) אדן ’adon aw-done’; n m. - firme, forte, senhor, chefe.
בעליה B ̂e ̀alyah; n pr m. Bealias = “Javé é mestre”
רעה ra ̀ah; v.  apascentar, cuidar de, pastar, alimentar; referindo-se ao mestre
Cuidado com o falso mestre - ψευδοδιδασκαλος pseudodidaskalos; n. m. falso mestre
Ψευδολογος - pseudologos; adj. que fala (ensina) falsamente, que fala
Αυθεντεω - authenteo - v.alguém que age por sua própria autoridade, autocrático; mestre absoluto; que governa, exerce domínio sobre alguém
A obrigação ou dever dos mestres cristãos
βοσκω - bosko – v. alimentar; retrata o dever de um mestre cristão de promover por todos os meios o bem estar espiritual dos membros da igreja.
δεσποτης - despotes; n. m. mestre, Senhor.
Na questão da autoridade sobre outrem
εξουσιαζω - exousiazo; v. ter poder ou autoridade, usar o poder; ser mestre de alguém, exercer autoridade sobre alguém.
Os mestres também necessitam da imposição de mãos para receberem autorização da Igreja no seu serviço.
επιθεσις - epithesis; n. f. imposição (de mãos); A imposição de mãos era um rito sagrado, transmitido aos cristãos pelos judeus, e usado quando se orava por outra pessoa, ou quando se conferiam a ela bênçãos divinas (especialmente saúde física) ou o Espírito Santo (na administração do batismo ou quando mestres e ministros da igreja tomavam posse do seu ofício).
Κεφαλη - kephale; n. f. metáf. algo supremo, principal, proeminente: de pessoas, mestre senhor: de um marido em relação à sua esposa; de Cristo: Senhor da Igreja; de coisas: pedra angular
Na autoridade sobre
κρατεω - krateo; v. ter poder, ser poderoso; ser o chefe, ser mestre de, governar; tornar-se mestre de, obter.
νομοδιδασκαλος – nomodidaskalos; n. m. mestre e intérprete da lei: entre os judeus; daqueles que entre os cristãos foram quase como defensores e intérpretes da lei mosaica.
Introdução
O texto sobre mestres é interligado a um ofício pastoral.
Com efeito há alguns que sugerem que devamos usá-lo para pastores, como mestres. Entendo que pastores podem ser mestres e mestres podem ser pastores, concomitantemente ou em separado.
Ex.: “pastores e mestres” (sendo governados por “outros”) referem-se a um ofício, aquele de pastor/mestre.
Podemos entender que na questão do ensino podemos ver pelas escrituras d Atos dos apóstolos e demais neotestamentarias a posição especial dos dados para o ensino à Igreja. Pois, os ofícios de apóstolo, profeta e evangelista, como o ofício de pastor/mestre, são ofícios de ensino (Ef. 4:11). Essa é a ideia chave no contexto (vv. 11-16). Isso explica também o porquê os ofícios especiais de presbítero e diácono não são mencionados aqui, pois a ideia chave desses ofícios é governar e administrar as misericórdias de Cristo, respectivamente, e não o ensino (como tal).
 Ef 4:11-16
Podemos entender pelos destaques no próprio texto:
E ele:
- deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,
Querendo:
- aperfeiçoamento dos santos, -a obra do ministério,
-a edificação do corpo de Cristo;
- à unidade da fé,
- conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,
Para que não:
- sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.
Antes:
- seguindo a verdade em amor,
- cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,
- segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.
Aprendendo com o Mestre somos capacitados para sermos mestres.
Lucas 6:40 “O discípulo não está acima do seu mestre;todo aquele, porém, que for bem instruído será como o seu mestre.”
A atividade do Mestre deve ser considerada como de fundamental importância. Devemos dar voz e vez aos mestres para a mantença da Unidade da Fé e da doutrina.
Os mestres tem a função de ensinar com autoridade e com erudição bíblica a Palavra de Deus escrita.
Na Igreja primitiva, vemos que Antioquia é citada como um exemplo de uma Igreja plena por ter entre seus ministros homens como Apolo. “E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras. Este era instruído no caminho do Senhor e, fervoroso de espírito, falava e ensinava diligentemente as coisas do Senhor ...”. Atos 18:24-25
A atividade de um Mestre das Escrituras.
O mestre era encarregado de conservar, transmitir e interpretar as Escrituras e preservar a tradição apostólica. A obra do mestre é edificar o corpo de Cristo.
O mestre é aquele que descortina textos bíblicos e os torna acessível a toda comunidade.
Da mesma forma que os demais Ministérios a exercício dessa tarefa só acontece se o cristão que a quer exercer tiver o dom concedido por Cristo.
O exercício ministerial do dom de Mestre não se prende a regras, a letra tecnicista, ou mesmo a conhecer regras da didática e ter inclinação natural, tem que ter o chamado. No entanto a formação acadêmica deve ser notória entre os Mestres. Aquele que ensina deve ter dedicação ao ensino. Quem ensina obrigatoriamente teve um ensinador, ou Mestre, portanto aquele que ensina é alguém que assentou-se para aprender e deve gostar de aprender, para ser um bom ensinador, ou mestre. Como exemplos: Eurico Bérgsten, Antonio Gilberto, Lawrence Olsen, Claudionor de Andrade, Paulo, Lutero, Stott, Lewis, Horton, e outros tantos.
O que tem este dom sabe que deve usá-lo para fortalecer a comunidade da Igreja de Cristo.
 Por exemplo, o ministério de Apolo foi visto por Paulo como irrigador (1 Co 3.6).
O Mestre, o Ensinador deve ter qualidade como Apolo, pelo principio de que o ensino é um regador que rega a lavoura de Deus, como Paulo ensina a Igreja de Corinto.
“Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o Senhor deu a cada um? Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho”. 1 Co 3:5-8
Doutrina e Ensino.
Mestre ou Doutor era um titulo conhecido nos idos do Ministério de Jesus Cristo.
“E, as turbas, ouvindo isto, ficaram maravilhadas da sua doutrina. E os fariseus, ouvindo que ele fizera emudecer os saduceus, reuniram-se no mesmo lugar. E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei?” Mt 22:33-36
Jesus foi considerado pelos próprios doutores da Lei, Os Mestres – um igual a eles.
Vemos no texto acima, como o título era utilizado pelos judeus. Além de tudo, vemos como as discussões eram de alto nível sobre o Texto sacro da Lei amplamente discutido pelos escribas, fariseus e saduceus, sobre as Doutrinas e, uso no seio das comunidades reconhecidas dos doutores/mestres da Lei.
É um aspecto importante a se observar pelos que estudam o assunto.
Mestre e Doutor discutiam e ensinavam o que devemos buscar no que se diz Mestre, para caracterização do Dom de Mestre, ou Doutor.
Saduceus e fariseus discutiam pontos importantes a respeito do Ministério terreno de Jesus e sua passagem posterior para a Eternidade, um deles central para Fé Evangélica, a Ressurreição!
O próprio cotidiano era discutido a luz das Escrituras, assim encontramos um questionamento levado a Jesus sobre um artigo da Lei, o Adultério.
E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando. E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?” Jo 8:3-5
Nos Idos Neotestamentários.
O termo tammbém era utilizado nas Escrituras Neotestamentárias, quando escritas no Primeiro Século da Igreja.
“Paulo, Pedro e outros escritores divinamente inspirados o utilizaram. do qual fui constituído pregador, apóstolo e mestre”. 2 Tm 1:11

CONTINUA...EM EDIÇÃO

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical