quarta-feira, março 25

O Evangelho de Lucas, o Médico Amado - Primeira Parte Apoio Lições CPAD 2º TRIMESTRE 2015

Lições Bíblicas EBD/ CPAD – 2º Trimestre 2015
1ª PARTE
Estudo e compilação de Pr Osvarela
Indico a busca de subsídios sob o tema Jesus, nesta minha página.
Jesus, o Homem Perfeito
O Evangelho de Lucas, o Médico Amado
Data – 59 – 75 d.C.
Lucas, companheiro de viagem de Paulo, registrou o evangelho por este pregado em um livro”. Irineu, Pai da Igreja - 185 dC
Mitte
Um versículo chave do evangelho de Lucas é o 19.10, que declara que Jesus “veio buscar e salvar o que se havia perdido”.
Etimologia
Consubstancial - latim: “consubstancialis”; adj.m e adj.f. Da mesma substância ou que está numa mesma substância: as três pessoas da Trindade Santa são consubstanciais.
hypóstasis- hypò (sob, debaixo) + stáse (posição). A palavra também é utilizada para se referir à divindade de Cristo, na chamada união hipostática de suas naturezas - divina e humana - em uma única hipóstase.
anothen”, que pode significar “do começo”, ou “do alto”.
Hommoysios - Homoousios (gr: da mesma substância, consubstancial ou de igual substância) foi um termo criado pelos pais da Igreja para designar a relação entre O Pai, o Filho e mais tarde, com o desenvolvimento da pneumatologia, o Espírito Santo, sendo essa definição a base da Doutrina da Trindade. Dicionário Teológico – Comunidade Wesleyana
Quem era ele?
Lucas era médico. Lucas, segundo Eusébio, era natural da Antiioquia, na Síria. Gentio, talvez grego. Homem letrado e educado, médico Companheiro de Paulo – Atos 16.10
Ele não era nem pescador nem coletor de impostos; era “médico” - veja Colossenses 4.14, e como tal era um estudante da natureza humana e conhecedor da constituição humana.
Há vários e grandes motivos que nos levam a crer que Lucas não era judeu, e, sim, gentio, eis então, uma pista, para que ele, Lucas, utilizasse o termo diferenciado e apropriado que apresentasse Cristo não como “o Filho de Davi”, mas como “o Filho do Homem”.
Um autor com profissão liberal, um estudioso. Talvez, por sua formação e necessidade de pesquisa Lucas tenha sido o maior evangelista na área da pesquisa da verdade do Evangelho de Jesus Cristo.
Sob sua própria afirmação inicial, ele foi  comprometido com a verdade histórica, registrou em seu evangelho o que ouvira diretamente dos apóstolos e discípulos que testemunharam a vida de Jesus.
O exame do vocabulário de seu Evangelho levou a crítica moderna a confirmar a antiga tradição de que era um médico e excelente escritor, preocupado em manter-se fiel aos fatos históricos e, politicamente, com as injustiças sociais.
Sendo assim, já em sua introdução, que acho reveladora ele aponta para esta forma especial, pela qual o Espírito Santo o levou a escrever sobre seu principal personagem: Jesus - O Filho do Homem.
Existem várias versões sobre o local e como morreu. Uma versão registra que foi martirizado em Patras e, segundo outras, em Roma, ou ainda em Tebas. 
Em sua introdução aparece a palavra grega “anothen”, que pode significar “do começo”, ou “do alto”, como em Mateus 27.51. Mas aqui, sob a ótica da forma ativa do verbo “investigar’ nos parece, como assumem outros estudiosos, que devamos aceitar o sentido “do começo”, como o fazem diversos tradutores. Bengel diz; ““anothen”, de cima (subindo), isto é desde o começo, dá a atender que Lucas quis fornecer os pormenores, que sua base escriturística Marcos omitira”. Os estudiosos dos Evangelhos hão de concordar, que a tese usual de que marcos é a base para os demais sinóticos é relevante.
Nota.: JA Bengel; Johann Albrecht Bengel (nascido em 24 de junho de 1687, Winnenden, perto de Stuttgart, Württemberg [Alemanha] – morreu em 02 de novembro de 1752, Stuttgart), teólogo luterano alemão e estudioso da Bíblia que foi o fundador do Swabian Pietism. 
Um pioneiro na crítica exegese do Novo Testamento. Bengel estudou em Tübingen e em 1713 foi nomeado professor em um seminário em Denkendorf, onde publicou seus primeiros trabalhos sobre o Novo Testamento. Como um estudante que ele tinha se preocupado em relação às várias leituras do texto do Novo Testamento e procurou desenvolver um criticamente consistente.
Para quem escreveu?
Quando se estuda os livros bíblicos esta pergunta é fundamental, segundo a boa norma teológica. Lucas escreveu para leitores gregos, o primeiro deles o destinatário, do que eu chamo Evangelho-Epístola foi o nobilíssimo Teófilo, alguém que já possuía algum conhecimento das verdades do cristianismo.
Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus”. 1 Coríntios 1:22-24
A crença e o estudo do Evangelho de Lucas escrevendo para gregos pela diferente ótica dos gregos sobre os assuntos, eles querem e buscam detalhes (Atos 17), os gregos possuíam o ideal diferente do conceito romano.
“E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se ... todos os dias na praça com os que se apresentavam. E alguns dos filósofos epicureus e estóicos contendiam com ele; e uns diziam: Que quer dizer este paroleiro? E outros: Parece que é pregador de deuses estranhos; porque lhes anunciava a Jesus e a ressurreição. E tomando-o, o levaram ao Areópago, dizendo: Poderemos nós saber que nova doutrina é essa de que falas? ... (Pois todos os atenienses e estrangeiros residentes, de nenhuma outra coisa se ocupavam, senão de dizer e ouvir alguma novidade). E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses...” Atos 17:16-22
Enquanto estes, buscavam a glória da conquista militar, a autoridade, em manter, sob seu tacão os povos com a autoridade de governo, os gregos buscavam a sabedoria, a poesia, o estudo, a formosura das letras, a ênfase no ensino e na aprendizagem, em elevar o conhecimento e aperfeiçoamento do conhecimento do homem, em conhecer o homem, em todos os seus traços.
 “Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério”. 2 Timóteo 4:11
Características do Evangelho de Lucas:
Mensagem universal. “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.” Lucas 2:14
Luz para iluminar as nações...Lucas 2:32
É nele que encontramos o comissionamento para a Missão universalizadora da Mensagem do Filho do Homem:
...em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações”. Lucas 24:47
Um Messias para Israel, como Libertador é incluído na mensagem lucana:
“E para glória de teu povo Israel”. Lucas 2:32
E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, ... E sobrevindo na mesma hora, ela dava graças a Deus, e falava dele a todos os que esperavam a redenção ...” Lucas 2:36-38
Um homem, que desde o seu nascimento, e como todos os meninos, cumpre tudo segundo a lei,:
“...quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré. E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; ... todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa; E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.” Lucas 2:39-42
Destaque no Evangelho de Lucas.
Um evangelho que destaca a Oração:
É Lucas quem mais destaca em suas referências à oração. É enfático sobre esta característica, que nos aproxima de Jesus como homem que necessitava de uma vida diária de oração.
São 7 (sete) tais referências:
   1-      Ao ser batizado: “E aconteceu que, como todo o povo se batizava, sendo batizado também Jesus, orando ele, o céu se abriu;Lucas 3:21 
   2-     Orando a sós: “Ele, porém, retirava-se para os desertos, e ali orava.” Lucas 5:16
   3-     Orando com seus discípulos: E aconteceu que, estando ele só, orando, estavam com ele os discípulos; e perguntou-lhes, dizendo: Quem diz a multidão que eu sou?
E, respondendo eles, disseram: João o Batista; outros, Elias, e outros que um dos antigos profetas ressuscitou.
   4-     Orando no Monte, para transfigurar-se.
Entendo, que a forma simbólica, “subir” (neste texto), traduz a necessidade de aproximar-se do Pai, no isolamento de um local onde Deus sempre se apresentou aos homens de Israel:
E aconteceu que, quase oito dias depois destas palavras, tomou consigo a Pedro, a João e a Tiago, e subiu ao monte a orar.
a.      E, estando ele orando, transfigurou-se a aparência do seu rosto, e a sua roupa ficou branca e mui resplandecente.” Lucas 9:18-29
   5-    Aquele que Ora e ensina a Orar.
Lucas insere esta característica ao escrever a oração do Pai Nosso, assim ele destaca que Jesus orava, e sua devoção, a oração, despertou o desejo dos seus discípulos aprenderem a orar, como Jesus fazia. Infere que a oração de Jesus causava efeito, após seus longos períodos de oração a sós, ou mesmo com seus discípulos.
E aconteceu que, estando ele a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. E ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.” Lucas 11:1-2
   6-    Oração (intercessória e a última oração) até mesmo na hora de sua morte:
E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem... E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. Lucas 23: 34;46
  7-     Ensinando com exemplos, a oração do homem soberbo, a oração de um homem humilhando-se, na sua oração, como um necessitado de Deus:
Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado. Lucas 18:9;11-14
A Confirmação Teológica sobre a autoria do Evangelho de Lucas
“Para a confirmação da autoria do Evangelho de Lucas devemos buscar os idos de Irineu e o Fragmento Muratório, no fim do Segundo Século”. Book by Book
O Cânone Muratori, também conhecido por fragmento muratoriano ou fragmento de Muratori, é uma cópia da lista mais antiga que se conhece dos livros do Novo Testamento. Foi descoberto na Biblioteca Ambrosiana de Milão por Ludovico Antonio Muratori (1672 – 1750) e publicado em 1740. Na lista figuram os nomes dos livros que o autor desconhecido da lista considerava admissíveis, com alguns comentários. A lista está escrita em latim e encontra-se incompleta, daí ser chamada de fragmento. O cânone não é uma mera lista das Escrituras, mas um esboço geral, que fornece os dois tipos históricos e outros de informações sobre cada livro. O texto preservado começa com a última linha do segundo Evangelho e notas, totalmente preservada, sobre o terceiro e quarto Evangelhos. Depois de Os mencionados Atos, Epístolas de São Paulo (inclusive de Filemon, Tito e Timóteo;
Apesar de ser consensual datar o manuscrito como sendo do século VII, ele é cópia de um texto mais antigo, datado como tendo sido escrito por volta do ano 170, já que nele é referido o Pastor de Hermas.
O fragmento é de extrema importância para a história do cânon bíblico.
Ele foi escrito na mesma Roma ou em torno à 180-200; provavelmente o original em grego, que foi traduzido para o latim.
Este texto Latino está preservado apenas no manuscrito da Ambrosiana. Algumas frases do Canon Muratoriano são preservadas em alguns outros manuscritos, especialmente nos códices de Epístolas de São Paulo. O Pastor de Hermas, que pode ser lido em todos os lugares, mas não no serviço divino foi então mencionado; e, finalmente, falsas escrituras que foram usados ​​são rejeitados por hereges. Como conseqncia do latim bárbaro o significado correto de algumas frases não pode ser compreendido. No que diz respeito ao autor, muitas conjecturas foram feitas, propondo a Papias, Hegesippus, Cayo Roma, Santo Hipólito de Roma, Rodon, Melito de Sardes, mas ainda não produziu uma hipótese bem fundamentada.
CANON DE MURATORI (Trecho)
O terceiro livro do Evangelho segundo Lucas.
Depois da ascensão de Cristo, Lucas, o médico, a quem Paulo tinha trazido como um especialista legal, escreveu em seu próprio nome, concordando com o parecer de [Paulo]. No entanto, ele próprio nunca vira o Senhor em carne ..., começou a contar desde o nascimento de João. Traduzido do Inglês http://members.aol.com/Judiciary/Muratori.html
Márcion – o docético, admitia por volta dos anos 140 d.C., só reconhecia o evangelho de Lucas, como um trabalho de um discípulo de Paulo.
Lucas é um sírio de Antioquia, médico de profissão, um discípulo de apostolo; mais tarde ele acompanhou Paulo até ao martírio. Depois de ter seguido o Senhor fielmente, sem mulher e sem filhos, faleceu aos 84 anos cheio do Espírito santo. Visto que já existiam evangelhos – o de Mateus, o de marcos escrito na Itália – ele escreveu, movido pelo Espírito santo, nas regiões da Acaia, todo esse evangelho, informando já no prólogo que antes deste, outros evangelhos tinham sido escritos e que era necessário levar aos cristãos provenientes dos gentios um relato exato da salvação, para que não fossem arrastados por mitologias judaicas e não fossem enganados por fantasias vazias e heréticas e assim perdessem o caminho da verdade. Prólogo segundo Márcion – Sec. IV
Conceitos e palavras de pais da Igreja, sobre o Tema:
Atanásio disse acerca de Cristo: “ele não abandonou parte alguma da criação, mas tudo enche, permanecendo contudo, unido ao Pai” (A Encarnação do Verbo, 8.1).
Para Agostinho: “O Pai, o Filho e o Espírito Santo, isto é, a própria Trindade una e suprema realidade é a única coisa a ser fruída, bem comum a todos. (...). Não é fácil encontrar um nome que possa convir a tanta grandeza e servir para dominar de maneira adequada a Trindade. (...). Assim, o Pai, o Filho e o Espírito Santo são cada uma deles Deus. E os três são um só Deus. (...). O Pai não é o Filho, nem o Espírito Santo. O Filho não é o Pai nem o Espírito Santo. E o Espírito Santo não é o Pai nem o Filho. O Pai é só o Pai, o Filho unicamente o Filho e o Espírito Santo unicamente o Espírito Santo. Os três possuem a mesma imutabilidade, a mesma eternidade, a mesma majestade e o mesmo poder” (A Doutrina Cristã, I, 5.1). Prof. Edson Douglas de Oliveira
Teologia em Lucas
A questão de Jesus como homem perfeito, forma junto com a Trindade, ainda que esteja de toda forma inclusa na mesma discussão, pelo Filho, é importante para o cristianismo Universla e secular.
Assim, as informações de Lucas inferem de muita forma no Credo paulino, em uma das mais antigas declarações da base do cristianismo, como encontramos em I Coríntios:

Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze”. 1 Coríntios 15:3-5
CONTINUA

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical