quinta-feira, junho 18

AJUDA AOS NECESSITADOS - LIÇÃO 12 - CPAD

AJUDA AOS NECESSITADOS
Lição 12 – CPAD – Autor: Osvarela



TEXTO ÁUREO:
II Co. 9.7. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria.
Leitura bíblica em Classe:
II Co. 9.6-12.

Leia também os versículos 1-5 e 13-15
II Co. 9.1 Pois quanto à ministração que se faz a favor dos santos, não necessito escrever-vos; porque bem sei a vossa prontidão, pela qual me glorio de vós perante os macedônios, dizendo que a Acaia está pronta desde o ano passado; e o vosso zelo tem estimulado muitos. Mas enviei estes irmãos, a fim de que neste particular não se torne vão o nosso louvor a vosso respeito; para que, como eu dizia, estejais preparados, a fim de, se acaso alguns macedônios forem comigo, e vos acharem desaparecidos, não sermos nós envergonhados (para não dizermos vós) nesta confiança. Portanto, julguei necessário exortar estes irmãos que fossem adiante ter convosco, e preparassem de antemão a vossa beneficência, já há tempos prometida, para que a mesma esteja pronta como beneficência e não como por extorsão.
II Co. 9.12. Porque a ministração deste serviço não só supre as necessidades dos santos, mas também transborda em muitas ações de graças a Deus; visto como, na prova desta ministração...e pela liberalidade da vossa contribuição para eles, e para todos;...por causa da superabundante graça de Deus que há em vós. Graças a Deus pelo seu dom inefável.
Palavras-Chave:
Graça da caridadeten charis – honra ou previlégio de participar do serviço.
A “charis” era a própria oferta oferecida pelos de Corinto.
Diligênciaspoudazo = pensar e agir + planejar e produzir. Ser zeloso, esforçar cada músculo ou nervo para conseguir.
Koinonia – compartilhamento; participação; uniformidade; fraternidade; uma comunhão; ajuda contribuinte.
Necessário – indispensável; imprescindível;
Necessitar – sentir necessidade; sofrer necessidade.
Necessitado – o que padece de necessidade.

Alegriahilaros – disposto; de boa natureza; alegremente pronto; espírito alegre produzindo alegria no ato de dar, ns faz ser menos comedidos neste ato.
DEVOCIONAL:
Dt.15.11.Pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra.
TEXTO PENSAMENTO:
I João 3.16-17. Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos. Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus?
A - TEXTO BÍBLICO HISTÓRICO-AUXILIAR:

Gl. 2.1.ss. Depois, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo a Tito. E subi devido a uma revelação, e lhes expus o evangelho que prego entre os gentios, mas em particular aos que eram de destaque, para que de algum modo não estivesse correndo ou não tivesse corrido em vão...antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me fora confiado, como a Pedro o da circuncisão (porque aquele que operou a favor de Pedro para o apostolado da circuncisão, operou também a meu favor para com os gentios), e quando conheceram a graça que me fora dada, Tiago, Cefas e João, que pareciam ser as colunas, deram a mim e a Barnabé as destras de comunhão, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão; 10 recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com DILIGÊNCIA.
B - CONTEÚDO HISTÓRICO:
A história do Apóstolo São Paulo é uma história que, é demonstrada na Bíblia à partir da morte de Estevão.
Esta singular figura da história da Igreja Primitiva demonstra que, ao ser chamado por Jesus Cristo, a caminho de Damasco toma conta do cenário do livro escrito pelo detalhista Lucas, a quem ele depois chama do médico amado.
Sempre ensino que, para se estudar a história de Paulo na Bíblia Sagrada é necessário, permear o estudo com acuidade de diversos pontos, em cada de suas Epístolas, e até mesmo fora delas. Como sou um inconteste admirador de Paulo, tenho procurado faze-lo, muito embora, ainda não tenha obtido, pelo menos historicamente, pois, canonicamente o é impossível dada a questão divina das revelações da Palavra, compreender a vida de Paulo e conhecer onde esteve e onde andou, o que acho ainda um grande mistério pela grandeza do Próprio.
I Co. 16. 14. Todas as vossas obras sejam feitas em amor.
Paulo é alguém que transcende a suas próprias Epístolas e Escritos, por isto é interessante esta semana em particular nesta Lição da EBD – CPAD.
C - A situação social das Igrejas da Missão Paulina:
Chefe de sinagoga – Crispo –
At. 18. 8. Crispo, chefe da sinagoga, creu no Senhor
com toda a sua casa; e muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados.
Erasto – alto funcionário público.
Rm.16.23. Saúda-vos Erasto, tesoureiro da cidade...
Áquila e Priscila – fazedores de tenda.
At. 18.1-3.
Depois disto Paulo partiu de Atenas e chegou a Corinto...encontrando um judeu por nome Áqüila, natural do Ponto, que pouco antes viera da Itália, e Priscila, sua mulher...foi ter com eles, e, por ser do mesmo ofício, com eles morava, e juntos trabalhavam; pois eram, por ofício, fabricantes de tendas.
Febe – numa comunidade da época ter condições de abrigar a muitos indicava uma boa posição social.
Rm. 16.1-2. Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que é serva da igreja que está em Cencréia; para que a recebais no Senhor, de um modo digno dos santos, e a ajudeis em qualquer coisa que de vós necessitar; porque ela tem sido o amparo de muitos, e de mim em particular...
D - Destaque:
Um destaque para a posição de Paulo, Áquila e Priscila trabalharem:Como dito no CH-CNV-CPAD, pág.341: Os famosos rabinos Shammai [cresceu à sombra da opressão de Herodes, e acreditava sempre que era necessário ter uma postura firme para lidar com os adversários da tradição judaica.]e Hillel [considerado o maior sábio do período do segundo Templo], que viveram no primeiro século, apesar de serem mestres-doutores no ensino, praticavam as suas profissões, sendo Shammai, carpinteiro e Hillel, prestador de serviços, bem como, Eleazar Zadoq e Abba Saul Batnith eram comerciantes em Jerusalém, sem deixar de se dedicar ao ensino, então o fato de Paulo muitas vezes se contrapor a receber ofertas monetárias e trabalhar fazendo tenda, não era uma posição de inferioridade, pelo contrário, digo eu, era mais forte a sua independência, muito embora, realizasse seu trabalho em meio a comunidade helênica, mas como a vida da Igreja passava pela sociedade sinagonal não causava-lhe tanto incomodo, mesmo na Acaia.
I Co. 9. 18. Logo, qual é a minha recompensa? É que, pregando o evangelho, eu o faça gratuitamente, para não usar em absoluto do meu direito no evangelho.
Ele declara sem medo: “o obreiro é digno de seu salário” e agradece a todos que o ajudaram em suas necessidades, em quase todas as suas Epístolas.
INTRODUÇÃO:
Como Paulo aprendeu a ajudar os necessitados?
A prévia sobre a vida de Paulo, após a sua revelação serve para introduzir a questão da sua própria Teologia, ou seja, a Teologia Paulina, como o Evangelho que Paulo pregava, sem conotação contemporânea com nossos dias, mas sim sob a sua ótica escatológica antioquena.
Desta forma, O Apóstolo Paulo, passado quatorze anos sobe a Jerusalém para encontrar-se, com as colunas da Igreja, a fim de obter ou constatar se como ele mesmo diz: “se não houvera trabalhado em vão, como socando o ar”.
Eis aí nesta frase, uma das facetas do pensamento contemporizador, às vidas que lhe cercavam, que conheciam muito bem o seu mundo.
Paulo ao chegar em Jerusalém, procurou as colunas para dar um relato do que andara realizando na obra do evangelho, na Ásia e recebeu um sim dos mesmos.
Mas, mesmo assim, numa demonstração de humildade e para nos ensinar que devemos sempre estar aprendendo ele declara que procurou fazer com diligencia o que lhe fora recomendado pelas colunas da Igreja Primitiva: “recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com DILIGÊNCIA”.
Será que Paulo estava esquecido desta importante coisa?
Creio que sim.
Pelas datas das Epístolas Paulinas, vemos, que Gálatas é considerada escrita no período que, vai de 49 d.C. sendo anterior as Epístolas aos Coríntios, portanto, a Epístola aos Gálatas é o mais antigo testemunho da luta antijudaizante, contudo Paulo respeita a liderança e aprende com ela - Tiago, Cefas e João.
Pode ser um pensamento ousado, mas creio que, seja real, o aprendizado de Paulo com as colunas do Caminho, nesta questão, em atender a necessidade dos santos.
A Igreja de Jerusalém a mãe de todas as igrejas cristãs estava empobrecida pelo momento socioeconômico gerado pela perseguição e invasão dos romanos, os que ali residiam estavam todos juntos e era uma grande multidão, que precisava de tudo para ser abastecida.
Assim, as Igrejas filhas do Ministério de Paulo aprenderam com a mãe, Jerusalém, a servir com alegria aqueles que estavam necessitados.
O livro de atos dos Apóstolos ensina sobre a koinonia na Igreja de Jerusalém – At.2.42.ss
Veja a separação dos diáconos para um serviço de atender aos necessitados, viúvas emprincipal.
At. 6. 5. O parecer agradou a todos, e elegeram a Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas, e Nicolau, prosélito de Antioquia...
Esta foi uma etapa singular da Igreja, em que estavam reunidos numa mesma mesa todos os tipos sociais e intelectuais, assim como na Igreja de Antioquia – At.13. 1. Ora, na igreja em Antioquia havia profetas e mestres, a saber: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes o tetrarca, e Saulo.
Esta mescla social levou a Igreja a ser um local de abrigo e de atendimento das necessidades, não só da Obra de Deus, mas também dos necessitados de toda a espécie.
Paulo pode dizer muito bem: Fp. 4. 10. ss. Ora, muito me regozijo no Senhor por terdes finalmente renovado o vosso cuidado para comigo; do qual na verdade andáveis lembrados, mas vos faltava oportunidade. Não digo isto por causa de necessidade, porque já aprendi a contentar-me com as circunstâncias em que me encontre. Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou experimentado, tanto em ter fartura, como em passar fome; tanto em ter abundância, como em padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece.
Creio, que não haveria ninguém em especial com poder de síntese como Paulo para demonstrar esta questão prática da vida cristã como: Ajudar aos Necessitados!
II - O TEMPO DE AJUDAR:

Na citação de Filipenses, acima, Paulo declara explicitamente a questão do tempo de ajudar.
Não adianta-nos pregar e ensinar se não tiver um coração doador de beneficência, fora de tempo.
Muitos querem em nossos dias ensinar ou dirigir aquilo que entregam para a Obra de Deus, se você entregou deixe nas mãos de quem Deus colocou como governo.
Se você não entregou ainda há um tempo para você atender as carências da Obra de Deus e de seu Povo.
II Co. 9.9. conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres...
Rm. 12. 11 não sejais vagarosos no cuidado;
O frio não espera.
A fome desespera.
A doença leva a sepultura.
A febre enlouquece e causa desvarios.
A dor não cessa sem remédio. [estamos contextualizando, em termo físico, crendo que, Jesus cura]
ENTÃO é tempo de atender as carências do povo.

Como diz Tiago: 2.15-16. Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso?
O atendimento tem que ser na hora da necessidade.

Muitos desprezam o serviço diaconal da assistência social e se limitam a doar cestas básicas, em dia e tempo determinado, uns ainda chamam os pedintes necessitados de “incapazes”, quando a barriga da criança sente falta de alimento é a cabeça do pai e da mãe que dói, tanto quanto.
Se este trabalho não fosse importante, a aula é sobre ajuda, mas é preciso dizer certas coisas.
Se este trabalho não fosse importante as Colunas Tiago, João e Cefas e os demais Apóstolos, não teriam sido dirigidos pelo Espírito Santo para levanta-lo, no seio da Igreja.
Rm. 15. 26-28. Porque pareceu bem à Macedônia e à Acaia levantar uma oferta fraternal para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém. Isto, pois lhes pareceu bem, como devedores que são para com eles. Porque, se os gentios foram participantes das bênçãos espirituais dos judeus, devem também servir a estes com as materiais. Tendo, pois, concluído isto, e havendo-lhes consignado este fruto, de lá, passando por vós, irei à Espanha.
I Co. 16. 1-3. Ora, quanto à coleta para os santos fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galiléia. No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder, conforme tiver prosperado, guardando-o, para que se não façam coletas quando eu chegar. E, quando tiver chegado, mandarei os que por carta aprovardes para levar a vossa dádiva a Jerusalém;Vai aqui um ensinamento sobre os valores forçados por alguns ao rebanho do Senhor....
II Co. 8.1.ss. Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus que foi dada às igrejas da Macedônia; como, em muita prova de tribulação, a abundância do seu gozo e sua profunda pobreza abundaram em riquezas da sua generosidade.Porque, dou-lhes testemunho de que, segundo as suas posses, e ainda acima das suas posses, deram voluntariamente, pedindo-nos, com muito encarecimento, o privilégio de participarem deste serviço a favor dos santos; e não somente fizeram como nós esperávamos, mas primeiramente a si mesmos se deram ao Senhor
II - 1 - A CONTRIBUIÇÃO E SUAS FORMAS:
Organização e sistematização programática:
- II Co. 9.5. Portanto, julguei necessário exortar estes irmãos que fossem adiante ter convosco, e preparassem de antemão a vossa beneficência, já há tempos prometida, para que a mesma esteja pronta como beneficência e não como por extorsão.
II Co. 9.1. Pois quanto à ministração que se faz a favor dos santos, não necessito escrever-vos;
A Obrigação Ministerial em exortar [em ambos sentidos: animar, encorajar e disciplinar a ação] o rebanho a contribuir com a Obra meritória da Ajuda aos Necessitados é um fundamento do exercício do mesmo.
Assim foi ensinado aos primeiros líderes apostólicos por Jesus Cristo, ensinado pelos Apóstolos aos demais, inclusive ao Apóstolo Paulo, e por este transmitido a todas as Igrejas da Ásia Menor, incluindo a de Corinto.
A ação atual das Igrejas nesta área ainda é algo tímido, embora existam exceções pontuais.
A ação da Ajuda aos Necessitados deve ser:
Preparada com antemão –
significa deve ter uma estrutura para não ser um serviço caracterizado, apenas pela necessidade eventual, como em casos de calamidades.
Isto significa disciplinar a ação, ou seja, ter métodos, ter sistematização, ter organização.
A Bíblia Sagrada, as Paulinas, e a Organização do Sistema ou Entidade Eclesial de Ajuda aos Necessitados:
I Tm. 5.3.ss.
Honra as viúvas que verdadeiramente são viúvas.Mas, se alguma viúva tiver filhos, ou netos, aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família [deve ser atendidas pela sua própria família], e a recompensar seus pais; porque isto é bom e agradável diante de Deus.Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada espera em Deus, e persevera de noite e de dia em rogos e orações; Manda, pois, estas coisas, para que elas sejam irrepreensíveis.Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel.Nunca seja inscrita viúva com menos de sessenta anos[Paulo considerava a capacidade laboral ou física e a possibilidade de um novo casamento – veja vs.5-7], e só a que tenha sido mulher de um só marido;Tendo testemunho de boas obras: Se criou os filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os aflitos, se praticou toda a boa obra.
Neste texto Paulo considera alguns parâmetros para ajuda aos da koinonia da fé.
No caso das viúvas ele exercita o mesmo rigor que aplicou aos tessalonicenses ao dizer “quem não trabalha, também não coma”.
Esta maneira de disciplinar, ou colocar parâmetros era necessário, para não existir casos, como o filho que diz que o que tem é “corbã”, e assim ficar livre de ajudar aos pais debilitados pela idade, e isto ocorre até hoje, muitas famílias, descrentes ou crentes, tem se valido da generosidade das Igrejas para entregar os debilitados da família, nas mãos da Igreja local e ainda acusam o Ministério de descaso.
No próprio ministério Apostólico houve a necessidade de levantar a diakonia, para atender as viúvas gregas que não estavam sendo atendidas.
A Ajuda aos Necessitados deve começar, no lar do Ministro, passar pelo seio da família e depois atingir a Igreja, o exercício da piedade é Ministerial, Familiar e Eclesiástico!
1- PRONTIDÃO:

A operação, com base na vida espiritual:
A vida do cristão é baseada na voluntariedade, que leva a uma vida de ser pronto, ou seja, prontidão.
- II Co. 9.2. porque bem sei a vossa prontidão - se há prontidão de vontade...
Prontidão
aumenta a conscientização sobre os necessitados e a necessidade de ajudar as ações contextualizadas para cada grupo de pessoas específicas, em parceria. Quando a Prontidão alcança seu resultado desejado, igrejas, ajudadores, e equipes de ajuda, incluindo as Entidades eclesiais estão CIENTES de que:
O chamado de Deus em suas vidas, os grupos de pessoas à sua volta que carecem de Jesus, mas também de sua prontidão ou presteza em serem atendidos.
Prontidão fala de serviço:
Para o que Deus as está chamando.
Quero passar a visão de que a Ajuda aos Necessitados é uma ação espiritual.
Por isto a Prontidão inclui itens tais como, preparação espiritual, conhecimento do lugar ou contexto da social da Igreja e seus membros, descobrimento dos grupos de pessoas, aproximação de pessoas e medição e desenvolvimento da receptividade entre o grupo selecionado para o atendimento e enraizamento no Evangelho.
2- CONTRIBUIÇÃO:
- Cada um contribua segundo propôs no seu coração
I Co.16. 1
Ora, quanto à coleta para os santos fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galiléia.
Esta é uma faceta singular e conhecida, tratada doutrinariamente pela Bíblia Sagrada.
Mas, Paulo faz questão de que seja de acordo com o coração.
- Não há nenhum contratempo a agir com o coração na ação de dar ou ajudar, se o cristão tiver uma vida espiritual racional e não simplesmente agir sem senso de racionalidade, assim: Cada um contribua segundo propôs no seu coração, e segundo o que tem.
Deus não quer que, você seja um emocional ajudador, lógico que isto pode ser utilizado segundo o próprio querer de Deus se Ele tiver impulsionado você, Ele vai supri-lo em tudo!
II Co. 8. 11-15. Agora, pois, levai a termo a obra, para que, assim como houve a prontidão no querer, haja também o cumprir segundo o que tendes. Porque, se há prontidão de vontade, é aceitável segundo o que alguém tem, e não segundo o que não tem. Pois digo isto não para que haja alívio para outros e aperto para vós, mas para que haja igualdade, suprindo, neste tempo presente, na vossa abundância a falta dos outros, para que também a abundância deles venha a suprir a vossa falta, e assim haja igualdade; como está escrito: Ao que muito colheu, não sobrou; e ao que pouco colheu, não faltou.
II Co. 9.10. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça.
Todos podem contribuir:
As Igrejas da Macedônia foram generosos mesmo em sua pobreza. Ver o texto bíblico de II Co.8.1,2.
3- ZELO:

- II Co. 9.2. e o vosso zelo tem estimulado muitos.
Zelo é um dos atributos comunicáveis de Deus a Igreja, aos homens que N’Ele crêem.
Assim tudo que fizermos sempre deverá ser com todo o zelo, ou seja, de forma cuidadosa com os necessitados.
Zelo infere cuidado particular, cuidado extremado.
Mas, por que?
É necessário incutir a questão do zelo como, cuidado em não constranger os que em algum momento necessitam de ajuda ou são necessitados.
Não se deve proclamar a ajuda.
Não se deve externar a ajuda como algo próprio de alguma família do seio eclesial ou do nosso círculo de conhecimento.
Zelo infere Caridade, ou seja, Amor.
4- LIBERALIDADE:
- II Co. 9.13.
Liberalidade da vossa contribuição
O liberal é o oposto do avaro, ele dá e pratica o seu projeto de vida com o pensamento devotado em ajudar.
Is. 32.5-8. Ao vil nunca mais se chamará liberal; e do avarento nunca mais se dirá que é generoso. Porque o vil fala obscenidade, e o seu coração pratica a iniqüidade, para usar hipocrisia, e para proferir mentiras contra o Senhor, para deixar vazia a alma do faminto, e fazer com que o sedento venha a ter falta de bebida.Também todas as armas do avarento são más; ele maquina invenções malignas, para destruir os mansos com palavras falsas, mesmo quando o pobre chega a falar retamente.Mas o liberal projeta coisas liberais, e pela liberalidade está em pé.
O justo é liberal:
Tudo que é fruto do amor em Cristo se torna mais fácil de ser entregue, sem peso ou avaliação de quanto vai ser ofertado.
5- AFETO:
Aconchego aos necessitados.
- II Co. 9.14. Afetuosamente: ardente afeto que vos têm.
6- PRIVILÉGIO:
Ajudar aos necessitados é caracterizado pó Paulo como um privilégio.
- II Co. 8..4. o privilégio de participarem deste serviço a favor dos santos.
7- GOZO:

- II Co. 8.2. a abundância do seu gozo.
Eu sempre digo que, a Bíblia nos ensina a fazer os outros felizes.
Aliás, o grande prazer de Deus é nos fazer o bem, para que sejamos felizes. Jr.29.11
A Bíblia nos ensina a chorar com os que choram e alegrar-se com os que se alegram.
8- A RACIONALIDADE DA AJUDA:
O próprio texto nos ensina!
- II Co. 8.13. Pois digo isto não para que haja alívio para outros e aperto para vós...
9- IGUALDADE:
- II Co. 8..14. Mas para que haja igualdade
A sociedade moderna, como também, a sociedade coríntia carece de igualdade social.
Muito embora, o Texto Bíblico afirme a sempre existência dos pobres – “os pobres sempre tereis convosco” – afirmada por Jesus, buscando um contexto social, ao largo do contexto exarado pelo Mestre, esta carência de igualdade, foi um dos desvios da Igreja primitiva, da Doutrina Apostólica, não só em Corinto, mas também em Jerusalém. At.4. 34. Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos.
Assim, temos a obrigação de agir como a Igreja da Macedônia em atender a Jerusalém.
Qual é a nossa, a minha Jerusalém?
A lista acima é um dos retratos da Ajuda aos necessitados, seja no quesito dar, amar, e a forma pela qual se deve dar:
A ajuda aos necessitados é o tema principal desta Lição 12.Embora o assunto resvale para a Contribuição, este é um assunto, que me agrada pelo apelo sincero a contribuição aos necessitados.
10- A AÇÃO FEMININA JUNTO AOS NECESSITADOS:
Pv.31.9;20.Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos...Abre a sua mão ao pobre, e estende as suas mãos ao necessitado.
Isto deve servir de incentivo as nossas Febes e Dorcas, ajam sem medo a favor dos necessitados!
Produzindo para uso alheio:
At.9.36,39. Havia em Jope uma discípula por nome Tabita...quer dizer Dorcas, a qual estava cheia de boas obras e esmolas que fazia...e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe as túnicas e vestidos que Dorcas fizera...
O que atende e Ajuda ao Necessitado:
Esta Lição nos leva a refletir na nossa situação.
Não temos nenhum mérito em nós mesmos, mas somos carente e dependente de Deus através da ação do Espírito Santo, pelo Sangue de Jesus.
Sl. 40.17. Mas eu sou pobre e necessitado; contudo o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e o meu libertador; não te detenhas, ó meu Deus.
Quando pensamos desta forma, nos colocamos no lugar do Necessitado mais premente.
Lembre-se do Nosso Senhor Jesus Cristo, que agiu desta forma: “se fez pobre” – ptocheuo.
Nosso maior exemplo, pois Ele se fazendo pobre pode sentir todas as necessidades dos pobres, pode conviver com pobres, fora dos palácios terrenos e nos ensinou a “vai vende tudo quanto tens, reparte com os pobres, vem e segue-me”.
Aquele que depende em tudo de Deus: seja a vida, seja a eternidade, seja a alma salva...
CONCLUSÃO:
Atos 20. 35. Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer...recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber.
Assim como aprendemos a dar, é necessário aprender a comunicar “nossas necessidades com os santos”. Paulo foi um exemplo disto.
Fp. 4.15. ...nenhuma igreja comunicou comigo no sentido de dar e de receber, senão vós somente;
Paulo usa comunicar necessidades, também no sentido de acudir às necessidades alheias, mas aqui e usa comunicar com o sentido de receber o que falta.
Há muitos que se apegam ao texto de Isaías ou mesmo texto de Mateus sobre, o fato verdadeiro que Deus suprirá as nossas necessidades, mas esquecem que é preciso Pedir, comunicar, seja a Deus tanto quanto aos santos - Igreja.
Ainda temos promessa:
Novo Testamento: Fp.4.19. Meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus.
Velho Testamento: Pv.28. 27. O que dá ao pobre não terá falta;
Ainda temos mais:
O lugar que Jesus nos foi preparar:
Fp. 3. 20-21. Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória...
Is. 65. 17 Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão...
Ap.7. 17;21.4. porque o Cordeiro que está no meio, diante do trono, os apascentará e os conduzirá às fontes das águas da vida;...Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
Fonte:
Church Planting Village - Batistas do Sul.
Bíblia Chamada
Bíblia Plenitude
Comentário Histórico-Cultural do NV-CPAD
Apontamentos do autor
Paulo – J. Becker
Dicionário Aurélio
Bíblia digital - cortesia tio Sam.
Foto - Projeto mão estendida

2 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Ola irmão Oziel!


Queria convidar você para conhecer o meu blog, o Genizah que horas é pirado e engraçado, horas é exaltado e sério, mas é super do bem e tem como regra levar o Evangelho da Liberdade Verdadeira e a Santa Subversão de Jesus ao mundo egocêntrico e perdido nos seus valores! E, ainda dando tempo, aproveito para tirar uma onda com este pessoal que anda explorando a fé das pessoas e ainda dizendo que são cristãos... Ops!

Por minha vez, já me tornei seu seguidor.

Abraços em Cristo e Paz!

Danilo


http://genizah-virtual.blogspot.com/

osiel varela disse...

OLÁ! DANILO, VOU LINKAR O SEU BLOG
OK
Fraternalmente em Cristo com abraços
Osvarela

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical