quinta-feira, julho 2

LIÇÃO 01 - CPAD - 3º TRIMESTRE - A PRIMEIRA CARTA DE JOÃO

A PRIMEIRA CARTA DE JOÃO.
A PRIMEIRA EPÍSTOLA UNIVERSAL DO APÓSTOLO SÃO JOÃO.
LIÇÃO 01 – CPAD – 3.º TRIMESTRE – Autor: Osvarela
Comentarista CPAD do 3º Trimestre:
Pr. Eliezer de Lira e Silva.
Texto Áureo:II Tm. 3.16.Toda a escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, pararedarguir, para corrigir, para instruir em Justiça”.
Leitura bíblica em Classe: I João 1.1-4.
Destaque visual:
Capa deste trimestre.
NOSSO COMENTÁRIO:
Exórdio:
Podemos utilizar o nome Primeira Epístola Universal do Apóstolo São João, em razão da característica Universal da Epístola.
A utilização do termo Carta, não trás nenhum problema à aplicação e uso deste texto canonico, em virtude da exceção no modo de escrita da mesma, sem cabeçalho ou saudação e sem a afirmação do autor apostólico no final da mesma, como costume das cartas apostólicas, as chamadas epístolas, creio que se deva, ao conhecimento do Autor, pelos destinatários, à época, ilação minha, derivado da durabilidade do mesmo, em relação aos demais Apóstolos [A data provável que esta epístola tenha sido escrita seria entre os anos 85 e 90 dC.- há defecções - Em éfeso].
Autoria: A Primeira Epístola de João, o quarto dos católicos ou Epístolas "gerais".
Foi evidentemente escrita por João evangelista, e provavelmente também em Éfeso, e quando o escritor estava em idade avançada, com cêrca de 94 anos de idade.
São João
João era irmão de Tiago o Maior.
Foi bispo da igreja de Éfeso.
Esteve exilado na ilha de Patmos entre os anos de 93 a 98, onde escreveu o Apocalipse. Depois de libertado regressou a Éfeso.
Morreu quase centenário e foi o único discípulo a ter morte natural.
Recebeu diversas agressões durante a vida, segundo a tradição, inclusive um cálice envenenado, do qual escapou milagrosamente.
A Igreja de Éfeso -
Essa foi a igreja em que Paulo trabalhou por três anos. Também dirigiram essa igreja, Áquila e Priscila, Timóteo e João. ...
Expressões sobre os destinatários:
-Meus filhinhos;
-Filhinhos;
-Irmãos;
-Amados.

I - GEOGRAFIA SITUANTE DO CONTEXTO DA EPÍSTOLA:
Anatólia : A Anatólia está situada ao leste do Bósforo, entre o Mar Negro e o Mar Mediterrâneo.
Anatólia (ou península anatoliana) é uma região do extremo oeste da Ásia que corresponde hoje à porção asiática da Turquia.
É também freqüentemente chamada pelo nome latino de Ásia Menor, que deriva do grego Mikra Asia.
O nome deriva do grego Aνατολή (Anatolē) ou Aνατολία (Anatolía), que significa "brilho do sol" ou "leste". A forma turca Anadolu deriva da versão grega original e é freqüentemente associada com ana ("mãe") por etimologia popular.
Helenística: Sem bases políticas seguras, a região foi desmembrada em vários reinos helenísticos, como por exemplo o dos Gálatas, o de Pérgamo, o da Cária, o da Lícia, o da Psídia, o da Bitínia, e o do Ponto, embora os gregos se tornassem o componente étnico e cultural dominante em todos esses reinos, e com dezenas de cidades prósperas na região central da península. A unidade política viria com o Império Romano.
Roma: O domínio Romano na Anatólia teve seu início quando o reino de Pérgamo passou ao controle de Roma em 133 a.C. Desde então, os demais reinos da Anatólia foram sendo conquistados por Roma, que passou a usar a península como base para as contínuas (e freqüentemente inconclusivas) campanhas contra o Império Parto, estado sucessor da Pérsia.
ÉFESO’’: significa “desejável’’.
Era a principal província romana da Ásia.
É a igreja que começou bem, mas havia perdido o que lhe deu o conceito de desejável - o amor. Uma igreja sem amor é uma igreja em decadência total (ICo 13).
A igreja de Éfeso foi muito bem estabelecida na doutrina apostólica. Paulo ensinou a Palavra de Deus ali, durante três anos (At 20.31).
Todos os ensinos básicos lhe foram ministrados. “PORQUE JAMAIS DEIXEI DE VOS ANUNCIAR TODO O DESÍGNIO DE DEUS” (At 20.27).
Pelo teor e conteúdo da Epístola de Paulo aos Efésios, observa-se que aquela igreja era espiritual.
Ela foi à igreja que João pastoreava quando foi desterrado para a solitária Ilha de Patmos, nos primeiros séculos.
II - Etimologia:
Redargüir – responder a uma pergunta oral [argüir]; definição do autor do texto.
Unção – chrisma. do grego "chrismon", que significa ungüento
Nos purifica – katharise – purificar, ou limpar.
Harmatian echein – ter pecado.
Confessar – homologeo – reconhecer, admitir.
Pseutes estin – é um mentiroso.ver pseudo.
Mundo – kosmos – sistema ou ordem. – conjunto da sociedade humana com suas concupiscencias, pecados e emoções incontroláveis; sistema de trevas – Ef.6.12.; operando sob princípios malignos.Este siatema tem um príncipe – satanás.sistema dualista do mal contra o Poder de Deus. Definição Adaptada do autor.
Católicos – Universais ou Gerais.
III- AMBIENTE OBJETIVO:
A interferencia Gnóstica nas Igrejas da Ásia Menor.
Ao enviar esta Epístola o Apóstolo João estava revivendo nos corações e mentes dos cristãos, sobre a verdadeira doutrina e os orientando sobre os falsos pastores, sobre a atuação do anti-cristo.
Anti-cristo na Epístola de João tem um significado mais amplo do que a figura do filho da perdição segundo Paulo ensinou.
Aqui nesta Epístola João leva o termo às conseqüências da atuação de homens que se colocam contra os atributos da divindade, tais como, encarnação de Jesus, com a amplitude de ser este mesmo Jesus homem, o Deus encarnado, homem e ao mesmo tempo Deus[Evangelho de João 1.14.ss. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai. Pois todos nós recebemos da sua plenitude, e graça sobre graça. Ninguém jamais viu a Deus. O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer. – I João 1.1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida; o sangue de Jesus seu Filho...].
Ele nos orienta sobre como identificar aqueles, que tem outro espírito, que o Espírito de Deus.
A-Localização do autor:
Éfeso, onde foi Bispo até sua morte.
B-Caracteristicas especiais do autor da Epístola:
1) A familiaridade do autor com a pessoa de Cristo. João 19. 25-27. Estavam em pé, junto à cruz de Jesus, sua mãe, e a irmã de sua mãe, e Maria, mulher de Clôpas, e Maria Madalena. Ora, Jesus, vendo ali sua mãe, e ao lado dela o discípulo a quem ele amava, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.
2) Policarpo - Foi discípulo do apóstolo João, amigo e mestre de Irineu, tendo ainda conhecido Inácio, sendo consagrado bispo da igreja de Esmirna. Segundo Tertuliano, Policarpo teria sido ordenado bispo pelas mãos do próprio apóstolo João.
3) Um dos filhos do trovão. Mc. 3. 17 Tiago, filho de Zebedeu, e João, irmão de Tiago, aos quais pôs o nome de Boanerges, que significa: Filhos do trovão.
4) Pescador, irmão de Tiago e filho de Zebedeu. Mateus 4:21. E, passando mais adiante, viu outros dois irmãos Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, no barco com seu pai Zebedeu, consertando as redes; e os chamou.
5) Exilado na ilha de Patmos.Ap.1. 9. Eu, João, irmão vosso e companheiro convosco na aflição, no reino, e na perseverança em Jesus, estava na ilha chamada Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus.
6) Era conhecido dos Sumo-Sacerdotes: Anás e Caifás, responsáveis pelo julgamento de Jesus de Nazaré. Tinha tanto conhecimento que livrou Pedro de continuar dando vexame sobre o seu relacionamento com Jesus Nazareno.
João 18. 15,16. Simão Pedro e outro discípulo seguiam a Jesus. Este discípulo era conhecido do sumo sacerdote, e entrou com Jesus no pátio do sumo sacerdote, enquanto Pedro ficava da parte de fora, à porta. Saiu, então, o outro discípulo que era conhecido do sumo sacerdote, falou à porteira, e levou Pedro para dentro.
7).Foi o único, segundo a tradição, Apóstolo de Jesus, que morreu de morte natural, muito embora, tenha sido afligido, com diversas torturas, e preso na Ilha de Patmos: uma ilha com víboras peçonhentas em quantidade.
IV - A Composição da Epístola em Volume:
A brevidade da carta:
105 versos divididos em Cinco Capítulos.
Texto de Devocional da Epístola:
I João 4.18. No Amor não há medo.Antes o perfeito Amor lança fora o medo, porque o medo produz tormento.Aquele que teme não é aperfeicoado em Amor.
V -Texto de Dourado da Epístola:
I João 4.16. E nós conhecemos, e cremos no Amor que Deus tem por nós. Deus É AMOR. Quem está em Amor está em Deus, e Deus nele.
VI -Uma palavra em destaque:
Sabemos!

I João 2.3. E nisto sabemos que o conhecemos; se guardamos os seus mandamentos.
I João 2.5. mas qualquer que guarda a sua palavra, nele realmente se tem aperfeiçoado o amor de Deus. E nisto sabemos que estamos nele;
I João 3.2. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos.
I João 3.14. Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte.
I João 5.15. e, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que já alcançamos as coisas que lhe temos pedido.
João ressalta sempre:
Nós SABEMOS ou nós temos conhecimento ou temos conhecido, para que os leitores de sua carta estejam cientes do que lhes fora notificado pelo velho Apóstolo, durante seu Apostolado, presbitério em suas lides ministeriais apostólicas.
5.20. E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro;
Era como um alerta para que se lembrassem do que haviam aprendido sobre Cristo, sobre o Amor, sobre o pecado, sobre os Mandamentos, sobre a Vida eterna, sobre o poder da Palavra, sobre pedir e receber, pois eram ouvidos por Deus e por fim sobre o aperfeiçoamento na Parousia.
1-Por que Sabemos?
Porque temos a Unção.
Unção que nos é dada pelo Espírito de Deus, conforme Isaías 11.2, esta presença do Espírito concede a sabedoria, o conhecimento, através dos Os sete dons do Espírito Santo são: Sabedoria, Inteligência, Conselho, Fortaleza, Conhecimento, Temor de Deus.
Sabedoria. Não é a sabedoria que se aprende nos livros, escolas e cursos (embora a inteligência seja um dom de Deus). A verdadeira Sabedoria é o Conhecimento de Deus. Sábio segundo o Espírito é aquele que conhece o Amor de Deus e experimenta a sua bondade, praticando a justiça. O verdadeiro sábio é justo.
2-Pensamento de João:
Muito embora, o AMOR
, seja a maior expressão destacada no Canone joanino, há outros temas candentes nos seus escritos.
Luz
Falsos cristos
Anti-cristos
Poder do Sangue de Jesus Cristo
Confissão
Koinonia –
Com Deus;
E com os demais da Fé.
Eclesiologia do Amor
A Advocacia de Cristo.
Apologética anti-gnóstica.
Doutrina sobre a atividade dos espíritos:
De Deus
E os não de Deus.
VII - A DIVINDADE DE CRISTO:
O pensamento da divindade, particular de João é uma das qualidades místicas do autor.
Creio que , isto tenha sido desenvolvido, por alguns fatores:
A intimidade pessoal com o Cristo;
A particular percepção da divindade mística do Filho do homem;
A diferença do seu Apostolado
, o que podemos ver por inferencia, através dos escritos de seus discípulos e contemporaneos, criando uma escola doutrinária com umpensamento místico mais abragente do que os fatos ou milagres, ou a convivencia com Jesus, mas indo além, atingindo com certa clareza pensamentos cristológicos mais profundos, seja, no Evangelho, tanto quanto, nas Epístolas.
Quando pensamos teológicamente, em termos hermenuticos, entendemos pelas evidencias externas a preciosidade deste pensamento.
Pode-se ter esta visão de Escola Joanina, quando lemos o texto extraído de estudo e informações sobre o velho João:
O peso de evidências externas pode favorecer a autoria joanina, pois existem possíveis alusões a I João nos escritos de Clemente de Roma [Alguns pais, como Orígenes, Eusébio de Cesaréia, Jerônimo, Irineu de Lião, entre outros, aceitaram como verdadeira a identificação de Clemente de Roma como colaborador do apóstolo Paulo.], e Inácio”.
Além de Papias e outros de seus discípulos Pais da Igreja, ou seja, a segunda leva de Ministros seguidores dos Apóstolos.
1-Pode-se ler nos escritos de:
Policarpo;
Barnabé;
Clemente;

Primeiro ele reforça os seus escritos sobre tudo se comparados entre si:
Evangelho Segundo ele São João escreveu.
As Epístolas católicas que escreveu.
Muito embora as epístolas tenham um curto conteúdo, no entanto, o são extremamente definidoras de Doutrinas Eternas, tais como:
Poder do Cristo.
Poder da Comunhão.
Poder da Luz
Poder do Amor de Deus.
Poder do Amor
.
VIII – ESTRUTURA DA EPÍSTOLA:
Segundo nossa visão apresentamos a estrutura da I Epístola do Apóstolo São João:
CAPÍTULO 1.

No capítulo 1 encontramos o assunto recorrente do Apóstolo do Amor.
1 João 1. 1.
O QUE era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida
A Revelação do mesmo sobre a divindade de Jesus Cristo como o VERBO da Vida, correlacionado com a entrada da Luz no Mundo, remetendo a Eternidade com Deus do Filho.
I João 1.5. Deus é Luz N’Ele não há treva nenhuma!
A ação do Verbo trouxe e traz Luz ao Mundo.
A ação do Verbo na produção da Luz do entendimento de Deus.
A ação do Verbo na Comunhão:
I João 1.7. Mas, se andarmos na luz como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica de todo o pecado.
- PECADO E CONFISSÃO.
9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.
- A QUESTÃO DO PECADO É DESTAQUE NESTA EPÍSTOLA.
8,10. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.
ANTES DE TUDO, João é único em determinar a Doutrina sobre a natureza geral do pecado adâmico, com todas as suas implicações.
Pode parecer estranho, tendo em vista que as paulinas falam sobre esta questão doutrinaria da hamartia com grande extensão de linhas.
Porém João esclarece que, o homem, mesmo o salvo nunca pode dizer: “não tenho pecado, ou não peco”.
É uma doutrina “hamartista” de grande profundidade sem, contudo, deixar de expressar a solução deste axioma espiritual, conforme a citação, acima, do versículo 9, de Confissão.
Esta doutrina serve-nos como uma forma de combater os chamados “super-crentes”, aqueles, que se consideram superiores aos demais crentes em sua forma de ser, além de nos levar a ter uma visão de “basta a cada dia o seu mal”, vencendo cada dia os males do pecado e ainda se formos tentados, podermos confessar e deixar os nossos erros.
CAPÍTULO 2:
- A Advocacia Cristológica.
2. 1.
MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.
A ação intercessória na vida do cristão é dupla, uma pela ação do Espírito Santo e a outra pela ação do próprio Cristo, que advogou a nossa salvação, a qual nos imputou, aqui um termo legal ou jurídico, justiça, nos tornando justos e nos absolvendo de toda culpa.
- Amor e Comunhão:
a-Um mandamento:

O Amor, sua existência e contemporaneidade, seja nos tempos joaninos, como nos dias atuais.
Muitos desprezam este mandamento, mas ele continua vigindo no seio da Igreja.
João explica, conforme o que aprendeu com o Mestre, que o mandamento atuante, no qual se resume toda a nomia, é o Amor.
2.7. Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que desde o princípio ouvistes.
2.8. Outra vez vos escrevo um mandamento novo, que é verdadeiro nele e em vós; porque vão passando as trevas, e já a verdadeira luz ilumina.
2.9.
Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas.
Tal qual, o Senhor Jesus, João nomeia o Amor como a excelência que estava descrita desde o passado na lei, mas, que sob Jesus tem uma nova interpretação, sem desfazer o que a lei escreveu, mas confirmando-a, pois a rigidez dos nomistas o fez estar entrenebrecido, mas a luz iluminou e o mostrou como a excelência da comunhão entre nós.
2.10. Aquele que ama a seu irmão permanece na Luz...
b-Anomia – Iniquidade:
Capítulo 3.4. Todo aquele que comete pecado, a lei, pois o pecado é a transgressão da lei.
- Nomia Cristológica.
2. 1. ....Se, porém, alguém pecar, temos um Advogado, para com o PAI, Jesus Cristo, o justo.
Lei - Nomia.
- A Nomia Cristológica não aceita:
O Ódio, é um sentimento contrário a natureza do cristão que ama:
Ódio traz trevas;
Ódio produz cegueira.
c-A afirmação daVitória:
- Família Vencedora.
- Tres instancias da Vitória na Família:
2. 12-14. Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados.Pais, escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde o princípio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai.Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.
- Analisando a Epístola temos convicção que, João ao escrever tinha em mente duas famílias:
A Família dos filhos de Deus, e a família terrena que tem Deus por sua base estrututal rudimentar.
- Por isto lemos:
- Primeira Família:
- Formada por:
Filhinhos;

Este primeiro grupo são os, que João conhecia como seus discípulos santificados pelo sangue e iluminados pela Luz – Jesus Cristo.
Os quais ele mesmo ensinou, discipulou, converteu, ministrou, como Bispo e Apóstolo.
- Segunda Família:
Este segundo grupo, são os que, João apascentava como família queridas e integrantes das Igrejas, mormente Éfeso, tal qual, Paulo cita em I Coríntios e outras cartas, precisamos entender o contexto da koinonia da Igreja primitiva, baseada nas famílias que se reunião em casas que abrigavam a Igreja dos cristãos do Caminho.
- Formada por:
Pais;
Maduros.
Filhos;
Jovens.
Por conhecer ao Pai:
É pelo Filho que conhecemos ao Pai, isto nos torna vitoriosos poque cremos no Unigenito d’Ele.
- VITÓRIA SOBRE:
a-O Pecado;
2.12. Filhinhos...pelo seu nome vos são perdoados os pecados.
2.13. Pais...porque conhecestes aquele que é desde o princípio.

b-O Maligno:
13.b. ....Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno.
13.c. ....Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai.

14. ...Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.
c-Anticristos: saíram de nós, tal qual em nossos dias, a ação de certos cristãos pode ser comparada com a ação de pseudo-cristãos que cheios de toda a doutrina gnóstica se infiltraram no seio das Igrejas, ou saíram do meio das mesmas para proclamarem uma nova doutrina cheia de erros e com a mistura da falsa sabedoria que regurgitava do seio helenista.
d-Como descobrir a a Ação destes:
Rejeitam e negam o Pai;
Rejeitam e negam o Filho;
Não tem a Unção do Santo.

Assim como João ensinava em sua Epístola, devemos estar aptos a ensinar aos nossos alunos sobre esta questão.
A visão e uso da palavra anticristos não é o uso comum, utilizado para a figura futura do ser Anticristo, que aparecerá no tempo final.
Aqui a palavra é utilizada como Paulo a utiliza, aqueles que se fazem anticristos, pela ação deste espírito que é contrário a Deus e já está no Mundo.
Porque João declara, que “é já a última hora”. Após a morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo a última hora já se iniciou, como um tempo do fim escatológico.
A ação dos anticristos, era negar a divindade de Cristo, com base no conhecimento gnóstico, de que na carne nenhum bem poderia existir, ela é a sede de todo mal, assim Cristo não poderia ter encarnado.
24. Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós.
2. 18.26: Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho.Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai.Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai.E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna.Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam.
- A Atividade do Espírito Santo na Epístola:
a-Derramar do Espírito.
2.27.E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis.
3.24. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem deu.
A palavra unção tem significado, como lemos acima, advindo de “chrisma”, que simboliza a impregnação da Igreja pelo Espírito Santo.
b-Recebimento da Unção.
Comparar com:
Evangelho segundo São João 16.8.13.E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.Do pecado, porque não crêem em mim;Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.
CAPÍTULO 3.
- AMOR.

a-Amor de Deus;
b-Amor fraternal;
c-Amor para com Deus.
d-O Amor do Pai:

Cap. 3.1,3.VEDE quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.
Tema recorrente e fundamental do autor, o Amor do Pai é destaque importante nesta epístola, servindo como linha mestre para os seus leitores e para nós Igreja de Cristo.
Para João o amor do Pai refletido na ação do Filho, impetrado na Igreja pela presença da Unção do Santo, é o que nos garante o Verdadeiro conhecimento da presença de Deus entre nós e nos assegurou a filiação divina ao lado de Jesus Cristo.
- Tamanho do Amor:
Grande;
Alcance:
A todos, incluindo-nos.
- Efeito:
Fazer-nos filhos D’Ele
.
Restaurar a nossa imagem e semelhança, perdidas pela ação do pecado. Seremos semelhantes a Ele.
- Amor ao Próximo:
I João 3.11-23. Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros...E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento.
No capítulo três, João destaca a necessidade do Amor ao próximo como uma necessidade compulsória, sem o qual nós podemos nos tornar em assassinos [fratricidas espirituais].
- O Altruísmo na ação do Amor do Pai:
Através do Filho que deu a sua vida. 3.16. Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós...
- O Amor nos leva a sermos doadores de vida, a exemplo de Cristo:
3.16. b. e nós devemos dar a vida pelos irmãos.
- Falta de amor:
Cria assassinos espirituais;
3.15. Qualquer que odeia a seu irmão é homicida.
- A falta de Amor destrói a esperança e impede alcançarmos a vida eterna:
15 Qualquer que odeia a seu irmão é homicida.
A forma certa do amor aos irmãos:
Amamos de palavra ou por ações?
Esta é a imperiosidade do ato de Amar. Requer além de palavras de amor, algo mais: ações que tornem isto em ato e fato.
Amar é muito mais factual, do que verbal.
3.18
Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.
Ainda que haja dúvidas em nosso coração, contudo o Amor de Deus supre esta carência em não podermos realizar mais do que seria necessário e inalcançável ao homem ainda nesta vida, no ato de amar ao irmãos
CAPÍTULO 4.
- Discernindo os espíritos.
João – O Apóstolo discorre sobre esta necessidade, em discernir se os espíritos são de Deus.
Uma mensagem, e ensino atualíssimo, quando vemos tantos movimentos em nome de Deus agindo e atuando sobre a carência do povo e sobre a fé sem direção que se direciona para o que lhes é mais tangível.
João vai de maneira direta a forma de discernir os espíritos. Ele demonstra, com base na mensagem da cruz e na mensagem dos santos profetas, que escreveram as Escrituras, que a realização das mesmas em Jesus de Nazaré, demonstrou a plenitude do evento Proclamado pelo próprio Deus no Éden.
A Encarnação de Deus como semente da mulher, como forma de tornar factível a realização na carne do mal contra a carne.
- A Humanidade de Cristo é esta confirmação.
a-Testando os espíritos.
Cap. 4.1-3.
AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;
E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.
João estava se referindo aos Gnósticos, como já descrevemos neste texto.
b-Falsos profetas:
Para que a Igreja pudesse, discernir a introdução destes homens, saídos da própria Igreja, é denunciada pelo Apóstolo João.
4.4-6. Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.Do mundo são, por isso falam do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro.
Na seqüência desta forma de discernir estes falsos profetas, João ensina-nos de maneira inteiramente inerente a sua visão sobre a Ação espiritual no seio da Igreja, que tudo isto só pode ser conseguido pela ação do seu tema principal: O Amor!
Para discernir os falsos profetas e espíritos que não são de Deus, basta termos o Amor de Deus, isto é, conhecermos de fato e de coração à Deus, assim jamais seremos enganados.
4.7. Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
c-Plenitude do Amor:
4.7-19... Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro.
d-Mentira de Amor.
Somos mentirosos?
Será possível isto?
4.20. Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?
Aí está. Muitos de nós podemos dizer que amamos, mas nossas atitudes são desconexas deste versículo, segundo a visão do Apóstolo do Amor.
Tomé só ama o que vê.
Quando só cremos no que vemos há impedimento para vermos o que é revelado e místico.
e-Axioma do amor:
Se eu amo a Deus posso não amar o meu irmão?
Solução do axioma:
Há um mandamento do Amor, a ser aprendido e ele nos da a resposta.
21. E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.
CAPÍTULO 5.

Em correlação com o capítulo 4[1-6].
a-Palavras-chaves:
Crer
Amar
Testificar
b-As três testemunhas místicas e metafóricas.
5.6-12: Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só por água, mas por água e por sangue. E o Espírito é o que testifica, porque o Espírito é a verdade.Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um.E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num. Leia Evangelho Segundo São João 5.32-36: Há outro que testifica a meu respeito, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro...Leia ainda no mesmo, livro citado, João 1.29-32.
Nota:
Sobre este trecho da Epístola você poderá encontrar quem o descarte ou o coloque sob dúvidas. Veja este assunto em Comentários do Novo testamento ou em outras matérias como Introdução ao Novo Testamento.
Certamente que teremos oportunidade de estudar melhor o assunto [Lição 12], pois é necessário espaço, do qual não dispomos nesta oportunidade.
Mas, nós temos crença no texto de toda a Bíblia Sagrada, o fato de alguns manuscritos não conterem, alguns trechos,não diminuem em nada a veracidade da Palavra, tendo por foco o Ensino Geral nela Contido.
c-Novo nascimento:

5.1.TODO aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido.
João como bom discípulo do Mestre Jesus Cristo ensina que , o Amor regenera ao pecador e o faz nascer de novo, desculpem a redundância.
Assim o amor é agente de uma ação regeneradora do velho homem nascido em Cristo pelo poder do Amor.
Esta ocorrência em nossas vidas nos garante, vitória sobre o pecado, sobre tudo nos torna livre da ação do Maligno. [vide capítulo 1.7-9]
18. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.
Porque temos proteção de Deus.
d-Pecados:
Uma discussão interessante se passa neste capítulo.
Muitas vezes usamos o jargão: “não há pecadinho e pecadão”, mas à luz de João há distinção sobre tipos de pecado.
João discorre sobre tipos de pecados que inferem em perdão e em morte.
Embora o “salário do pecado é a morte”, João discursa sobre o assunto com muita propriedade, em toda a sua I Epístola, nos trazendo revelações, que detalham a questão dos pecados, aliás, tema que é recorrente em toda a Epístola, sempre em função da ação do verdadeiro Amor.
Assim João ensina-nos:
Todo pecado é iniqüidade,mas....
Há pecados não para a morte:
Pelos quais podemos orar para sermos livres deles.
Há pecados para a morte:
E pecados que não precisamos mais orar, pois são para morte.
e-Certeza da vida Eterna:
Vs.14.
f-Poder da Oração:
Garante nos ouvir e responder.
Determinantes do pedido:
Ter o Filho.
Ter a vida.

Sermos ouvidos, isto é, obtermos resposta, significa: Confirmação de vida eterna.
Segundo a Vontade D’Ele!
Sob estes parâmetros conforme a seqüência do registro canônico, ele nos ouve todas as petições, ou seja, há registro de tudo que lhe pedirmos e estarão sujeitas as condições imposta pelo texto.
Assim é necessário, que este ensino seja a razão de nossas prédicas e proclamação do Evangelho, para que, combatamos os falsários da Palavra, que a utilizam para: determinar, encostar a divindade na parede[divindade-proposital o uso do termo], troca de favores com o sobrenatural, pontos de toque[copos d’água, rosas, sal grosso...].
5.12-15. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus.E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos.
g-Poder da fé:
Este foi para mim um dos mais difíceis versículos de entender. Que significa a Fé como vitória sobre o mundo, é um agente ou um instrumento?
4. ...esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.
A forma gramatical dificulta o entendimento?
Ou, nós somos ignotos na questão da fé?

Na realidade o que nos leva a vencer ao Mundo é: nascer de Deus. Para que isto aconteça, é necessária a ação da Fé, que nos leva a aceitar a ação da regeneração do novo nascimento, transformando-se este em uma vitória sobre o Mundo. 4. Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.
ANEXO:
Particularidades de escrita entre o Evangelho segundo São João e a I Epístola Universal de São João:
As grandes semelhanças entre e o Evangelho de João e a I Epístola de João.




O testemunho de Westcott a respeito das passagens paralelas, é conclusivo, ele argumenta que existem conceitos fundamentais semelhantes, porém, são apresentadas na epístola e no evangelho, com algumas diferenças. “O evangelho nos deu a revelação histórica, a epístola nos mostrou como a revelação foi recebida e vivida pela igreja e pelo crente”. A forte correlação entre ambas favorece a autoria comum.
Capítulos:
1 João1:2-3*João 3:11;
1 João 1:4*João 16:24;
1 João 2:11* João 12:35;
1 João 2:14*João 5:38;
1 João 2:17*João 8:35;
1 João 3:5*João 8:46;
1 João 3:8*João 8:44;
1 João 3:13*João 15:18;
1 João 3:14*João 5:24;
1 João 3:16* João 10:15;
1 João 3:22*João 8:29;
1 João 3:23*João 13:34;
1 João 4:6*João 8:47;
1 João 4:15*João 6:56;
1 João 4:16* João 6:69;
1 João 4:16*João 15:10;
1 João 5:4*João 16:33;
1 João 5:9* João 5:32;
1 João 5:20*João 17:3
Fonte:
http://www.mb-soft.com/believe/tts/johnepis.htm
Bíblia do Ministro – Editora Vida – Edição Contemporânea de Almeida.
http://www.ielb.org.br/old/recursos/rec_liturgia/escudos.htm
Wikipédia.
Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento – CPAD. Lawrence O Richards.
Escorcio Sousa.
As sete igrejas do apocalipse
Anotações do autor.
Bíblia Chamada.
Bíblia Plenitude.
Bíblia digital; cortesia Tio Sam.
FATEC – I Epístola de São João.
Epístolas Gerais:: Ev. José Ferraz
Estudo bíblico comentário por James M. Gray
Outros.

Nenhum comentário:

Seguidores

Share it

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical

Notícias

Loading...